Tempo de leitura: 2 minutos

Macarrão, Bruno e Bola foram condenados pelo assassinato e ocultação de cadáver de Elisa Samudio.
Macarrão, Bruno e Bola: condenados pela morte de Eliza Samudio.

O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, foi condenado neste sábado (27) pelo Tribunal do Júri pelo homicídio duplamente qualificado e ocultação do cadáver de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes. O crime ocorreu em 2010.
O ex-policial foi condenado a 19 anos de prisão em regime fechado pelo homicídio de Eliza e a mais 3 anos de prisão em regime aberto pela ocultação do cadáver, o que totaliza 22 anos. Bola, que não poderá recorrer em liberdade, negou participação no crime durante seu depoimento.
O júri popular começou na segunda-feira (22), no fórum Doutor Pedro Aleixo, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, e a decisão foi lida no salão do júri pela juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, do 1º Tribunal do Júri de Contagem.
Bola foi acusado pelo MPE (Ministério Público Estadual) de ter sido o assassino da ex-modelo, na sua casa, em Vespasiano, região metropolitana de Belo Horizonte.
Após a leitura da sentença, o advogado de defesa Ércio Quaresma afirmou que já recorreu da decisão. Já o promotor do caso, Henry Castro, disse ter a sensação de “dever cumprido” em um julgamento o qual ele considera o “mais difícil e tenso” entre todos os júris do caso.
Antes de Bola, Bruno Fernandes havia sido condenado a mais de 22 anos de prisão. Luiz Henrique Romão, o Macarrão, amigo de Bruno, foi condenado a 15 anos de prisão em novembro do ano passado. Leia na íntegra no Uol.

3 respostas


  1. “Vi ontem um bicho
    Na imundície do pátio
    Catando comida entre os detritos.
    Quando achava alguma coisa,
    Não examinava nem cheirava:
    Engolia com voracidade.
    O bicho não era um cão,
    Não era um gato,
    Não era um rato.
    O bicho, meu Deus, era um goleiro famoso”.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.