Tempo de leitura: 2 minutos
Fernandes em ato na porta da Delfi (Arquivo).
Fernandes em ato na porta da Delfi (Arquivo).

Os mais de 220 funcionários da Delfi Cacau, em Itabuna, obtiveram reajuste salarial de 9%, após negociações entre representantes locais da indústria e do Sindicacau. O piso saltou de R$ 887,00 para R$ 967,20.

“Obtivemos aumento real superior a 2%, já que nosso índice de inflação deu 6,95%”, assinala Luiz Fernandes Ferreira, presidente do Sindicacau, entidade que reúne trabalhadores das indústrias moageiras de cacau no sul da Bahia.

O reajuste para quem recebe a partir de R$ 3,5 mil será de 7,4%. “São supervisores e chefes de setor”, acrescenta.

Outros ganhos enumerados pelo dirigente sindical são o reajuste de 15% no tíquete alimentação – passa de R$ 500,00 para R$ 575,00 – e R$ 4,7 mil a todos os trabalhadores, a título de Participação nos Lucros e Resultados (PLR), que será paga no próximo dia 12.

Os funcionários ainda conquistaram a “licença aniversariante”, que dá folga ao trabalhador no dia do aniversário. “Também mantivemos outras cláusulas na área de saúde”, acrescenta.  “O acordo foi excelente para os trabalhadores e, ainda, para a região. Só com a PLR, vão ser injetados R$ 1 milhão no sul da Bahia”.

Após fechar as negociações com a Delfi Cacau, o Sindicacau intensifica as pautas com outras unidades moageiras instaladas no sul da Bahia. Amanhã, às 14h, a rodada de negociações será na Cargil. No dia 12, na Barry Callebaut. Na ADM Joanes, a negociação será no dia 21.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.