Tempo de leitura: 2 minutos
Sant´ana e Hereda em audiência hoje à tarde (Foto Divulgação).
Sant´ana e Hereda em audiência hoje à tarde (Foto Divulgação).

O presidente do Bahia, Marcelo Sant´ana, defendeu que grandes empresas apoiem a cultura e o esporte estadual. Para isso, defendeu que o governo baiano faça gestões nestas empresas. Sant´ana foi recebido pelo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jorge Hereda.

– O que temos visto nos últimos anos é a Bahia atrair grandes companhias, como a Basf, o Boticário, a Kimberly-Clark, a Ford, o Magazine Luiza, a Bridgestone, a Continental, Alstom, a Casas Bahia, a ISM e a Frysk, mas não vemos essas empresas no dia a dia dos baianos, nos eventos culturais e esportivos – disse Sant´ana.

O presidente do Bahia disse defender que o governo baiano, “em troca de parte da renúncia fiscal, faça com que as empresas destinem um percentual mínimo do investimento para atividades esportivas e culturais”.

Tricolor roxo, o secretário Hereda disse que o pleito do presidente do Bahia é justo – e possível de ser atendido. “Vamos discutir com o governador Rui Costa e com o secretário da Fazenda, Manoel Vitório, para tentar incluir esta pauta nos futuros protocolos que serão assinados entre o Governo da Bahia e as empresas privadas. E não será nenhum favor: o marketing esportivo e o cultural rendem excelentes dividendos e mais negócios”, destacou Hereda.

O secretário lembrou que foi durante a sua gestão como presidente da Caixa Econômica que o banco passou a patrocinar clubes do futebol brasileiro. “Com o patrocínio aos clubes, a Caixa gastou três vezes menos que um grande concorrente privado desembolsou para bancar uma só competição. Aqui, na Bahia, o Esporte Clube Vitória é beneficiado com esse patrocínio. Por falta de certidões legais, infelizmente, o Bahia ficou de fora. Vamos trabalhar e ajudar o presidente Sant’ana a ‘correr atrás’ desse prejuízo”, disse o secretário.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.