Tempo de leitura: 2 minutos

ricardo ribeiroRicardo Ribeiro | ricardo.ribeiro10@gmail.com

O tal do dedo sujo é danado pra apontar o erro alheio, ignorando completamente a própria sujeira. Por falar em dedo, vem à mente a lembrança daquele caso em que médicos faziam moldes com suas digitais para enganar o sistema eletrônico de controle de ponto nos respectivos locais de trabalho… Isso enquanto embolsavam dinheiro público a título de salário pelo que não faziam. Tem safadeza maior que essa?

Muitos desses médicos “trabalham” em quatro ou cinco lugares, sem prestar um atendimento decente em nenhum deles. São os mesmos que se indignaram quando o governo resolveu trazer profissionais de outros países para suprir a carência de doutores, principalmente nas cidades mais afastadas dos grandes centros. Se o vigor que essa turma imprime para defender privilégios e ganhos ilícitos fosse aplicado ao interesse público, esse país seria outro.

Agora, surge a denúncia de que 145 servidores do Estado da Bahia apresentaram atestados falsos para se locupletar do dinheiro público sem trabalhar. Inventavam doenças para receber seus salários, enquanto davam expediente normal em prefeituras do interior. Muitos deles são médicos, que foram flagrados no contrapé e agora responderão a processo administrativo. Deveriam ser presos.

Esses picaretas somente demonstram como a corrupção é um tipo de virose endêmica no Brasil. Uma doença que se espalha por toda parte, em todos os níveis, e faz com que esse país permaneça no atoleiro do atraso.

É bem provável que muitos desses elementos flagrados com as calças na mão e os jalecos sujos de lama sejam daqueles indignados com a roubalheira na política, jactando-se da própria honestidade. Será falta de discernimento para entender que são da mesma laia? Ou é apenas cinismo?

Ricardo Ribeiro é advogado.

0 resposta

  1. Muitos desses “pseudo moralistas” estavam protestando contra corrupção, ou seja macaco não olha pro rabo

  2. muitos medicos recebem salarios baximos, portanto tem que ter varios empregos.

    O gasto do governo trazendo medicos de fora deveria ter sido envestidos em melhores salarios para os medicos existentes.
    Se existem medicos, atuando dessa forma a culpa é dos empregadores e não de uma classe.
    Vejo os profissionais medicos segurando a saude desse Brasil nas costas, não só os medicos, mais sim todos profissionais da saude.

  3. São esses mesmos que montaram barricadas para se vingar do governo que trouxe médicos de fora, porque os daqui não querem cumprir suas obrigações. Se o salário é baixo, não assuma, deixe para quem faz valer o juramento de Hipócrates.

    Legal, Ricardo.
    Olha quem está falando?

  4. O baixo salário não é justificativa para tal ato. Quando se propuseram a serem SERVIDORES PÚBLICOS sabiam do piso salarial e aceitaram. Se vêem que não é compensador dêem oportunidade a quem tem interesse em servir com amor e responsabilidade. Mas daí, dizer que precisam receber sem trabalhar vai além do maucaratismo. Achar que devem receber sem trabalhar é o mesmo que roubarem os cofres publicos.Tem que serem punidos e ressarcirem aos cofres públicos. Devem ser por essas e outras que essa mesma classe vivem em passeatas pedindo fim da corrupção,kkkk. Uma classse que em sua maioria só pensa em dinheiro. Eles se formam para além de serem humanísticos serem éticos. Cadê esses pilares?

  5. como são médicos (“deus”) não dar em nada, e ainda acha quem defenda.como essa melancia podre.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.