Tempo de leitura: < 1 minuto

Escutei que quando quisesse qualidade eu “viajasse e trocasse de cidade”, porque em Itabuna as pessoas estavam acostumadas daquela forma e pronto. Respirei. Não troquei de cidade, mas mudei a equipe!

Manuela Berbert

A verdade é que passei a semana toda tentando sentar para escrever um artigo sobre o Dia do Empreendedorismo Feminino, data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e comemorada no dia 19 de novembro, e não consegui. Porque ao contrário do que as redes sociais gourmetizadas passam, não tem glamour, aplausos e confetes no final do dia, nem tempo livre para frequentar o salão de beleza mais badalado da cidade três vezes na semana. O que caminha lado a lado na vida da mulher empreendedora é paciência e uma boa dose de ousadia, senão o negócio não vai!

Estamos em produção e reforma do Casarão Cola Na Manu, uma casa-bar em Itabuna, localizada na Avenida J.S. Pinheiro. A casa é a materialização de um desejo antigo, um espaço para a mistura de ritmos que a Bahia oferece, e que a gente adora. Vê-la tomando forma é uma satisfação gigantesca, mas contar com o apoio de empresas e empresários locais, a exemplo da Buriti e do arquiteto Matheus Esquivel é imprescindível.

Fazer acontecer não é tarefa das mais fáceis. Lembro de uma fase, há alguns anos, onde muita coisa era somente sonho e semente. Chamei uma parte da minha equipe e expus a vontade de ampliar um dos serviços, a exemplo de eventos que estavam acontecendo em Salvador e Vitória da Conquista. Escutei que quando quisesse qualidade eu “viajasse e trocasse de cidade”, porque em Itabuna as pessoas estavam acostumadas daquela forma e pronto. Respirei. Não troquei de cidade, mas mudei a equipe!

Manuela Berbert é publicitária.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.