Cena da peça "O inspetor geral", inspirada na obra homônima do autor russo Nikolai Gogol
Tempo de leitura: < 1 minuto

O dramaturgo e diretor do Teatro Popular de Ilhéus (TPI), Romualdo Lisboa, teve um dia longo de trabalho, nesta sexta-feira (27), para resgatar o acervo da companhia após a queda da Tenda – lona circense que abrigava os equipamentos da trupe e desmoronou (veja aqui).

Já era noite quando ele noticiou, em publicação numa rede social, que a maior parte do acervo foi salva. “Apesar do pesadelo… o sonho não acabou!”. Parte dos equipamentos foi abrigada na Concha Acústica e outra, na Secretaria Especial de Cultura de Ilhéus.

O SONHO DA SEDE PRÓPRIA

O Teatro Popular de Ilhéus tem 26 anos de história. Segundo Romualdo, trata-se de uma longa jornada de fazer artístico que tem a classe trabalhadora como protagonista e plateia. Agora, a companhia vai dar continuidade ao sonho de construir a própria sede. “Tornar esse sonho realidade será uma vitória para toda a classe trabalhadora e para toda a cultura ilheense, baiana e brasileira”, assegura o dramaturgo.

Interessados em colaborar com o financiamento coletivo do TPI podem fazer doações neste link.

Uma resposta

  1. Vinte e seis anos…! Já devia estar desativado há muito tempo. Não apresentava segurança nenhuma. Será que ainda querem reativá-lo? Marão, se é que tem bonsenço não deve permitir. Aquilo parece mais abrigo de sem teto. Ainda bem que a natureza agiu. Tarde mas agiu. Ilhéus tem teatro e centro cultural. Não precisava desse mambembe.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.