Obras do campus Jorge Amado serão concluídas no primeiro semestre
Tempo de leitura: 2 minutos

A Diretoria de Infraestrutura da Pró-reitoria de Planejamento de Administração (Dinfra/Tropa) da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) anunciou novos prazos para a conclusão das obras dos campi de Jorge Amado, em Itabuna, e Paulo Freire, em Teixeira de Freitas. Pelo novo cronograma apresentado na quarta-feira (15), o campus de Itabuna será concluído em março do próximo ano.

Com 60 mil metros quadrados de área construída, o Jorge Amado tem 79,48% das obras concluídas. O campus deveria ser entregue em dezembro do ano passado, mas os cortes nos repasses pelo Governo Federal comprometeram o cronograma. Por causa da falta de recursos, as obras ficaram seis meses paradas em 2019 e foram retomadas em fevereiro do ano passado.

As obras incluem serviços como de macro e micro drenagem, sistema viário, pavimentação, abastecimento e tratamento de água, estação de tratamento de esgoto com separação das águas residuárias, cobertura em painéis fotovoltaicos para os edifícios, paisagismo com espécies da Mata Atlântica, rede de energia elétrica, iluminação pública, cabeamento estruturado (dados e telefonia), subestação primária e subestação secundária.

De acordo com o projeto, no Campus Jorge Amado, serão instalados o Instituto de Humanidades, Artes e Ciência e Centros de Formação em Tecnociência e Inovação e Agroflorestais, Núcleo Pedagógico, edifício de salas de aulas e laboratórios; Núcleo de Vivência e Gestão Acadêmica, que abrigará a coordenação do campus e o corpo docente, além de áreas de convívio social.

CAMPUS DE TEIXEIRA DE FREITAS

As obras do campus Paulo Freire, em Teixeira de Freitas, no extremo-sul da Bahia, estão ainda mais atrasadas que as do Jorge Amado. Por lá, somente 56,08% do prédio foi concluído até agora. A previsão é que o campus seja concluído em novembro do próximo ano. O prédio está sendo erguido numa área de 9 mil metros quadrados.

Os trabalhos incluem serviços de terraplenagem, rede elétrica, subestações, sistemas eletrônicos, cabeamento estruturado, macro e micro-drenagem, pavimentação, abastecimento e distribuição de água e energia fotovoltaica, que permitirá a redução dos custos na conta energia elétrica.

Uma resposta

  1. Jorge Amado? Faz lembrar a familia Antonio Carlos Magalhães, nome presente em muitas obras na Bahia. Até hoje o soteropolitano tem atravessado na garganta a mudança do nome do Aeroporto 2 de Julho para ALEM – Aeroprto Luis Eduardo Magalhães. ACM e familiares eram espertos e tinham muitos bajuladores.
    Essa obra deve estar sendo concluida em Ilhéus, daí o nome. Itabuna lutou para conseguir a Universidade e entrega de mão-beijada a Ilhéus. Incompetência de prefeitos e desleixo de muitos itabunenses que se dizem líderes.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.