Kézia foi morta a tiro por Meira Júnior, que alegou legítima defesa
Tempo de leitura: < 1 minuto

Nesta sexta-feira (26), o Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA) acatou denúncia do Ministério Público da Bahia (MP-BA) contra o advogado José Luiz de Britto Meira Júnior, que matou a namorada, Kézia Stefany da Silva Ribeiro, de 21 anos, em Salvador.

A jovem foi morta a tiro na madrugada do último dia 17 de outubro, no apartamento do advogado, no bairro Rio Vermelho. Júnior alegou que agiu em legítima defesa. O argumento foi rejeitado pelo MP-BA, que atribuiu ao caso as características de feminicídio.

Imagens do circuito de segurança registraram o momento em que o advogado carregou o corpo de Kézia pelo corredor do prédio, antes de levá-lo para o Hospital Geral do Estado e fugir.

Preso de forma preventiva no Batalhão de Choque da Polícia Militar em Lauro de Freitas, José Luiz de Britto Meira Júnior agora é réu de processo por homicídio qualificado (feminicídio). Em caso de condenação, a pena prevista é de 15 a 30 anos de reclusão.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.