Tempo de leitura: 2 minutos

 

E lembrei que em 2019, quando Dorgival Dantas subiu no palco do sexto Arraiá e eu visualizei a multidão que cantarolava junto com ele, só consegui colocar a mão no coração e pedir a Deus, o tempo todo, que não permitisse que nada fugisse do controle da paz e do amor que eu tanto prezava nos meus eventos!

 

Manu Berbert

Eu nem sabia o significado da palavra empreender até passar a estudá-la e entender que é o que faço desde sempre. Inclusive lembrei das primeiras empreitadas, quando montei uma locadora de gibis com a minha própria coleção, e alugava o acervo para os amigos e vizinhos, e de quando cobrava uma taxa para apresentar “O Verdadeiro Bairro Castália” aos mesmos, numa espécie de roteiro turístico criativo. Isso quando tinha 9 ou 10 anos, e hoje digo que o meu maior medo nesta vida é ter uma filha igual a mim! E é mesmo!

Tive a ideia de escrever este Diário de Uma Empreendedora Baiana no último sábado, quando me reuni com amigos de uma vida quase toda, e lembramos do comecinho do Cola Na Manu, que surgiu lá em 2014, com o primeiro Arraiá. Na época, achei que estava criando uma marca de comunicação, afinal tinha um blog com o mesmo nome, e não imaginei, ali, que estava traçando rumos completamente diferentes para tudo. Naquele tempo, assinava a Coordenação de Marketing da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna e da Fundação Hospitalar de Camacan, além de algumas assessorias de imprensa para políticos e profissionais liberais. (Migrar realmente de área me custou muita terapia, mas essa pauta merece um texto próprio, que com certeza farei em breve!)

Sábado lembrei que o primeiro Arraiá Cola Na Manu, com bandas locais, foi pensado para 50 pessoas, mas com o rumo da produção e divulgação (minha e dos meus amigos mais próximos), acabou virando uma festa para um público de 500 apaixonados por forró, com direito a traje típico e quadrilha no centro do espaço. E lembrei que em 2019, quando Dorgival Dantas subiu no palco do sexto Arraiá e eu visualizei a multidão que cantarolava junto com ele, só consegui colocar a mão no coração e pedir a Deus, o tempo todo, que não permitisse que nada fugisse do controle da paz e do amor que eu tanto prezava nos meus eventos!

Nesta semana, véspera do Cola Na Manu No Comando, quando teremos Harmonia do Samba e Filhos de Jorge no palco, e após essa fase delicada com a pandemia, confesso que não estou sabendo descrever o que estou sentindo, mas sei quais são os valores que caminham comigo: o desejo de uma entrega extraordinária para o nosso público. O segredo do Cola Na Manu, que hoje tem na bagagem 6 Arraiás, 2 Feijão e 1 Cola Na Manu Show Square é, sem dúvidas, a paixão das pessoas por nossa história e construção da marca. E isso tem valor, jamais preço!

Manu Berbert é publicitária e empreendedora!

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.