Para Lívia Mendes, exigência é válida, pois direito individual não sobrepõe risco coletivo
Tempo de leitura: < 1 minuto

A possibilidade de passar a exigir vacinação contra a covid-19 aos servidores municipais está em discussão na Prefeitura de Itabuna, conforme revelou ao PIMENTA a secretária de Saúde do município, Lívia Mendes, nesta terça-feira (7).

“Estamos fazendo o levantamento dos servidores que não se vacinaram. A Procuradoria ainda está discutindo conosco essa situação”, escreveu a gestora, em conversa via aplicativo de mensagens.

Médica, Lívia atuou na linha de frente contra a pandemia em momentos críticos da disseminação da doença em Itabuna. A pedido do site, ela disse o que pensa sobre a obrigatoriedade da vacinação para os servidores. “Acho que o direito do cidadão não deve se sobrepor a um risco coletivo e, na minha opinião, essa exigência é válida”.

O PEDIDO DO GOVERNADOR E O EXEMPLO DE ITACARÉ

No último dia 30, o governador Rui Costa (PT) pediu que os prefeitos baianos sigam o exemplo do governo estadual e tornem a imunização obrigatória para os servidores municipais. O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio (PT), impôs a obrigatoriedade aos servidores do município na última quinta-feira (2).

Os decretos do Governo do Estado e da Prefeitura de Itacaré preveem exceção da obrigatoriedade para servidores por justa causa, a exemplo de condição de saúde que implique em risco de exposição ao imunizante, situação que deverá ser comprovada por atestado médico.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.