"Operação lockdown" restringe atendimento nas delegacias da Bahia
Tempo de leitura: < 1 minuto

A quinta-feira (27) começou com nova paralisação dos policiais civis da Bahia, que permanecerão de “braços cruzados” por 24h. A categoria cobra reajuste salarial, plano de carreira e exigência de comprovante de vacinação contra Covid-19 para ingresso nas delegacias do estado.

Conforme o Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc), operações e oitivas estão suspensas. Durante a paralisação, apenas o serviço de levantamento cadavérico e o registro de flagrantes são realizados.

Ainda segundo o Sindpoc, a Bahia tem 5.500 policias civis, mas deveria ter 11 mil. Além da contratação de novos agentes, o sindicato quer o nivelamento salarial da categoria.

“Estamos pedindo que o estado mude o padrão remuneratório de nível médio para nível superior. Hoje, o policial ingressa com R$ 3.900. Muito pouco para o risco de vida que corre. Ser policial na Bahia é um ônus. Vivemos um estado de insegurança e violência e os baixos salários não são atrativos na carreira”, afirmou Eustácio Lopes, presidente do Sindpoc.

A paralisação desta quinta-feira foi a segunda em duas semanas. Na quinta-feira passada (20), os policiais civis também fizeram a chamada “operação lockdown”, com atendimento restrito nas delegacias.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.