Confira calendário de atendimento, que começa nesta terça-feira (1º)
Tempo de leitura: 2 minutos

A Secretaria Municipal de Saúde de Itabuna divulgou calendário de vacinação para primeira semana deste mês. De terça (1º) a sexta-feira (4), a imunização contra a Covid-19 ocorrerá nas unidades básicas de saúde e de estratégia de saúde da família, sempre das 8h às 11h e das 13h às 16h.

Nas mesmas unidades, a segunda dose do imunizante contra o coronavírus estará disponível para quem tem retorno previsto até o dia 5 de fevereiro, seja da CoronaVac, Oxford ou Pfizer.

Nesta quarta-feira (2), haverá aplicação da segunda dose para pessoas maiores de 18 anos que estão em atraso no esquema vacinal, além de adolescentes que tenham recebido a primeira dose da vacina Pfizer até 2 de dezembro de 2021. A ação será na UniFTC, das 16h às 20h.

TERCEIRA DOSE E REFORÇO DA JANSSEN

Também nas unidades básicas de saúde, das 8h às 11h e das 13h às 16h, o atendimento será para a aplicação da terceira dose em quem recebeu o segundo imunizante há, pelo menos, quatro meses.

No mesmo dia estará disponível a dose de reforço da vacina Janssen para quem foi imunizado há dois meses ou mais. A ação será na UniFTC, das 17h às 20h.

VACINAÇÃO INFANTIL

Na quinta-feira (3), prossegue a vacinação de primeira dose contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos com comorbidade. Já a faixa etária infantil habilitada para receber o imunizante, independentemente de comorbidade, é de 9 a 11 anos.

A ação será na UniFTC, das 10h às 15h, e serão disponibilizadas 300 senhas. A documentação necessária é o RG, CPF ou Cartão SUS, comprovante de residência, cartão de vacina e, para aquelas que têm comorbidade e/ou deficiência, também será exigido relatório médico.

No sábado (5), haverá vacinação infantil contra a Covid-19 no Shopping Jequitibá, das 15h às 20h, com mais 300 senhas de atendimento.

Nos dois locais de vacinação, a criança deverá ser acompanhada pelos pais ou responsável.

As comorbidades consideradas são: diabetes mellitus; pneumopatias crônicas graves: doenças cardiovasculares; doenças cerebrovasculares; doença renal crônica; imunossuprimidos; hemoglobinopatias; obesidade mórbida; síndrome de down e cirrose hepática. Já as deficiências permanentes consideradas prioridades são a auditiva, visual, intelectual e física.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.