Médico Rafael Andrade faz alerta para tipo de câncer nos olhos
Tempo de leitura: 2 minutos

A recente divulgação de caso de câncer nos olhos envolvendo a filha do jornalista Tiago Leifert e sua esposa, Daiana Garbin, chamou a atenção sobre o retinoblastoma. Esse tipo raro de tumor intraocular maligno tem maior ocorrência em crianças.

O médico oftalmologista Rafael Andrade, diretor do Centro Avançado em Retina e Vítreo, superintendente médico do Hospital Beira Rio e membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), afirma que o “diagnóstico precoce desta forma de tumor, cuja origem está associada a fatores genéticos, é o melhor caminho para garantir seu tratamento adequado”.

“Os cuidados devem começar ainda na maternidade, onde todo recém-nascido deve ser submetido ao teste do olhinho, o teste do reflexo vermelho, até 72 horas de vida, sendo este o primeiro passo para a detecção de doenças oculares”, ressalta Rafael Andrade.

O médico também recomenda exame do fundo do olho no primeiro ano de vida, a partir do primeiro mês, e que os pais observem sempre as fotografias dos bebês para observar algumas alterações no olhar.

TESTE DO OLHINHO

Após essa abordagem inicial, o teste do olhinho deve ser repetido pelo pediatra ao menos três vezes ao ano, nos três primeiros anos de vida da criança. Na identificação de qualquer anormalidade, o paciente deve ser encaminhado para consulta com oftalmologista que aprofundará a investigação.

De acordo com Rafael Andrade, “para ampliar a proteção da saúde ocular das crianças, recomenda-se ainda que bebês de seis a 12 meses passem por um exame oftalmológico completo”. Posteriormente, entre três e cinco anos, esse mesmo bebê deve ser submetido a uma segunda avaliação oftalmológica.

DETECÇÃO PRECOCE

Os exames oftalmológicos completos são fundamentais para detecção precoce de problemas oculares que afetam a saúde ocular da população pediátrica. Em caso de confirmação de diagnóstico de retinoblastoma, a criança iniciará tratamento que depende de vários fatores (localização e o tamanho do tumor, disseminação além do olho e possibilidade de preservação da visão.

Na condução de casos de retinoblastoma, afirma Rafael, podem ser adotados diferentes procedimentos, como quimioterapia (intravenosa, intra-arterial, periocular e intraocular), terapia focal e métodos cirúrgico. O importante é que todo o processo seja conduzido por um profissional da oftalmologia.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.