As secretárias Lívia Mendes e Andrea Castro com Augusto no ato do início da vacinação em Itabuna || Foto Roberto Santos
Tempo de leitura: 2 minutos

Após o fim do uso obrigatório de máscara em ambientes abertos, decretado na terça-feira (29), o governo Augusto Castro divulgou dados sobre o combate à pandemia de Covid-19 em Itabuna. As informações dizem respeito ao período da gestão atual, iniciada em janeiro de 2021.

No ano passado, o gripário da UBS José Maria de Magalhães Neto (antigo F-SESP) atendeu 8.521 pacientes. Dos quatro gripários abertos em Itabuna, ele é o único que permanece em atividade, com atendimento das 16h às 22h.

A Secretaria de Saúde de Itabuna também montou unidades contra a Covid-19 na USF Renan Moreira, na UBS Möise Hage e na UBS José Edites dos Santos. A soma dos atendimentos feitos nas quatro unidades e no Centro Covid passa de 15 mil.

Para o governo, a implantação do Hospital de Campanha de Itabuna foi essencial na guerra contra o vírus. De março a setembro de 2021, o equipamento atendeu 410 pacientes e, segundo a Prefeitura, teve das menores taxas de mortalidade de todo o país devido à qualidade da estrutura e dos profissionais de saúde.

No início de 2022, com a onda de contaminações desencadeada pela variante Ômicron, a Prefeitura implantou a Unidade Extra de Pronto-atendimento no anexo do Hospital São Lucas, onde 4.892 pessoas foram atendidas em três meses, além do gripário infantil instalado no Cemepi, que retomou o serviço pediátrico após quatro anos fechado.

TESTAGEM, COBERTURA VACINAL E FLEXIBILIZAÇÃO SANITÁRIA

A gestão também considera determinante o esforço para garantir amplo acesso da população aos testes de diagnóstico da Covid-19. Ao todo, em 2021, foram 40 mil testagens feitas em escolas, mercados, bancos, repartições públicas e feiras, além das pessoas atendidas nos pontos fixos de atendimento.

O governo avalia positivamente o ritmo da vacinação contra a Covid-19 em Itabuna, que tem 93,4% da população adulta imunizada. O avanço da cobertura vacinal é um dos fatores que permitiram a flexibilização das regras sanitárias no município.

Após a queda acentuada do número de casos ativos da doença, além de tornar facultativo o uso de máscara em espaços abertos, o prefeito Augusto Castro (PSD) autorizou os eventos e atividades com até 10 mil pessoas, desde que esse número não extrapole 50% da capacidade máxima do local.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.