Além dos familiares da criança, policiais prenderam suposto líder espiritual
Tempo de leitura: < 1 minuto

A mãe, a tia e os avós maternos de Maria Fernanda de Camargo, criança de 5 anos que faleceu no dia 24 de março passado, foram presos em Frutal, Minas Gerais, na última quarta-feira (20). A menina teve 100% do corpo queimado, segundo a Polícia Civil, num ritual. Um homem, suposto guia espiritual da família, também foi detido.

A prisão temporária é de trinta dias. Os suspeitos foram indiciados por homicídio doloso. Antes do indiciamento, em depoimento à Polícia Civil, eles disseram que a criança havia se queimado na churrasqueira da casa.

Responsável pelo caso, o delegado Murilo Pereira disse que o pai da criança, que não estava em casa no momento do suposto ritual, foi o primeiro a desconfiar da versão dos familiares e levou o caso à Polícia Civil.

“Foram ouvidas testemunhas e os médicos que atenderam a vítima e os laudos periciais analisados, com isso concluímos que a vítima teria participado de um ritual religioso, sendo que um líder espiritual teria jogado álcool no corpo da criança e, posteriormente, ateado fogo, usando uma vela”, afirmou o delegado.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.