Coordenadora da Unigrad Itabuna e ativista, Carol Loureiro recebe premiação
Tempo de leitura: < 1 minuto

A coordenadora do polo itabunense da Unigrad e coordenadora psicossocial da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa), psicóloga Carolina Loureiro, recebeu o prêmio Mulher Empreendedora 2022, em Itabuna. A premiação ocorreu na última quinta-feira (26), em evento no Espaço Cultural Josué Brandão.

Criado pela Vitória, o prêmio foi entregue a Carol pelo seu trabalho como empreendedora e profissional que também participa de ações de amparo a cidadãos atendidos pela ONG do Obeso, de cirurgia bariátrica. “Faço parte da equipe de Fabrício Messias, de cirurgias bariátricas, como psicóloga com atendimento antes e durante o processo pós-operatório – ressalta Carol, como é chamada, sem esconder o orgulho pelo trabalho”.

Ela é vice-presidente da ONG do Obeso, que assiste a pessoas que não possuem recursos para tratar a comorbidade. “Obesidade é uma doença. Falo com propriedade, porque já fui obesa. Fiz a cirurgia há mais de 10 anos. Já senti na pele o que é ser excluído da sociedade e os olhares preconceituosos”.

PROVA VIVA

Psicóloga, Carol Loureiro é especialista em Neuropsicologia, Gestão de Pessoas e Psicologia Organizacional, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e mestranda em Saúde Pública. “Sou a prova viva, de que nunca devemos desistir dos nossos sonhos! porque o que um dia me fez chorar, hoje me fez ser profissional e encontrar o meu lugar no mundo. Me tornei uma mulher forte e sagaz para enfrentar qualquer desafio”.

Tempo de leitura: < 1 minuto

 

Um viva à vida. Que deixemos que as amenidades nos invadam e nos ajudem a viver com maior humanidade.

 

Rosivaldo Pinheiro

Hoje, resolvi escrever sobre amenidades, às vezes, tão necessárias para a convivência com a intensidade que a vida moderna se impõe.

Estamos numa era em que as informações nos atropelam Sim! No mundo do algoritmo, somos literalmente induzidos e conduzidos. Não selecionamos mais o que queremos nas redes sociais. As notícias, por exemplo, chegam a partir dos nossos movimentos e comportamentos captados a cada vez que visitamos o ambiente virtual.

Por isso, precisamos fazer filtros permanentes e até desligarmo-nos um pouco desse mundo em ebulição para ouvirmos a voz que ecoa do silêncio das nossas consciências. Deixar, como diz a música de Jota Quest, “ouvir a voz do próprio coração”.

Nesse mundo de hostilidades e nessa nação de culto à barbárie, faz-se necessária uma permanente vigília para não repetir atos e produzir fatos que estabeleçam vínculos com tiranos corações.

A nossa nação precisa de justiça social e um sistema jurídico eficiente. A gente precisa se sentir gente, urgentemente!

Os lares precisam de pais, a consequência será um país de paz. Cada ser precisa de Deus, independentemente de religião. Busquemos, portanto, os nossos encontros, fortalecendo os pontos para construirmos uma nação, onde possamos ser indivíduos com paz no coração.

Um viva à vida. Que deixemos que as amenidades nos invadam e nos ajudem a viver com maior humanidade.

Rosivaldo Pinheiro é economista e especialista em Planejamento de Cidades (Uesc).

PEC propõe cobrar mensalidade de alunos de universidades públicas || Foto ABr
Tempo de leitura: 2 minutos

 

Fora disto, viveremos a eterna hipocrisia de  querer vantagens na iniciativa privada, furar filas dos serviços públicos e escarnear daqueles que não possuem os relacionamentos patrimonialistas.

 

Efson Lima || efsonlima@gmail.com

A cobrança de mensalidades nas universidades públicas brasileiras voltou a ser tema acalorado na sociedade brasileira com a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê o pagamento de “taxas/preços públicos” em razão do ensino prestado pelas instituições de ensino. Há temas mais urgentes e necessários a serem discutidos, mas muitas pautas chegam disfarçadamente para colocar na ordem do dia posicionamentos conservadores e, sem dúvida, são jabutis em horas inoportunas.

Depreendem-se da Constituição Federal de 1988 e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação ( LDB), que a educação no ensino superior público é gratuita e o acesso a ela se dará por meio do mérito em razão de processos seletivos. O STF em seus julgados já se posicionou no sentido da gratuidade do ensino público no ensino superior. É importante destacar que a cobrança no ensino superior federal autorizaria de forma simétrica os estados brasileiros a trilharem o mesmo caminho, confirmando assim o efeito cascata.

Sabendo da importância das universidades para o Brasil, o constituinte originário, leia-se o legislador da Constituição Federal de 1988, estabeleceu que a universidade deve pautar sua atuação no tripé  do ensino, da pesquisa e da extensão.  Por fim, o fenômeno da globalização estabeleceu a dimensão da internacionalização, a qual mensura o impacto da instituição universitária no plano global.

O tripé previsto  de forma sábia na CF/1988 evidencia a gama de ações ofertadas pelo ensino superior público, que para além da qualidade do ensino e milhares de pessoas diplomadas com enorme capacidade crítica, tem-se inúmeras pesquisas científicas e descobertas que reverberam na saúde pública, por exemplo; na iniciativa privada em diversos setores, tais como: construção civil,  indústrias químicas e de alimentos. As universidades públicas brasileiras são referências na investigação, tratamento e prevenção de doenças negligenciadas.

A tentativa de cobrar mensalidades no ensino superior público é ofensiva, pois sinaliza claramente que todo serviço púbico com algum grau de boa qualidade merece ser cobrado e aquele que não é imprestável pode ser público. É a senha para a privatização e, quiçá na melhor das hipóteses, a publicização. É um pensamento pequeno e ingênuo para aqueles que defendem um projeto de nação.

A nação brasileira não encontrará o seu grau de desenvolvimento almejado até que todos tenham o pleno acesso aos serviços públicos com qualidade e no tempo necessário. Fora disto, viveremos a eterna hipocrisia de  querer vantagens na iniciativa privada, furar filas dos serviços públicos e escarnear daqueles que não possuem os relacionamentos patrimonialistas.

Efson Lima é doutor, mestre e bacharel em Direito (UFBA), além de ser membro das academias Grapiúna de Letras e de Ilhéus (ALI) e professor universitário.

Mega-Sena deve pagar R$ 52 milhões na quarta-feira (15)
Tempo de leitura: < 1 minuto

Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2.485 da Mega-Sena. O sorteio foi realizado na noite desse sábado (28), no Espaço da Sorte, localizado na Avenida Paulista, nº 750, na cidade de São Paulo.

São as seguintes as dezenas sorteadas: 05 – 12 – 32 – 38 – 47 – 60.

A estimativa de prêmio para o próximo concurso, a ser realizado na terça-feira (31), é R$ 120 milhões.

A quina teve 188 apostas ganhadoras, cada uma vai pagar R$ 46.388,86. Já a quadra registrou 13.488 apostas vencedoras e o prêmio individual é R$ 923,68.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet.

Deputado Tom Araújo foi diagnosticado com câncer no intestino em 2021
Tempo de leitura: < 1 minuto

O deputado estadual Tom Araújo (UB) anunciou, neste final de semana, que não tentará a reeleição devido à descoberta e ao tratamento de um câncer raro no intestino. “Eu preciso cuidar um pouco de mim”, escreveu ele em uma postagem na rede social Instagram.

– Estou bem, mas preciso parar um pouco, cuidar mais da minha saúde, estar mais perto da minha família, fazer todas as minhas revisões. Por isso eu decidi não disputar as eleições de 2022 – reafirmou o deputado em terceiro mandato e ex-prefeito de Conceição do Coité, no nordeste da Bahia.

O deputado foi diagnosticado ainda no ano passado e foi submetido a cirurgia no intestino em setembro de 2021 para a retirado do tumor. A cirurgia foi considerada um sucesso.

Mais Estudo oferta bolsa de R$ 100,00 a estudantes monitores
Tempo de leitura: < 1 minuto

A Secretaria de Educação da Bahia (SEC-BA) prorrogou, até 3 de junho, as inscrições para o processo de seleção dos estudantes para o Programa Mais Estudo, porém a monitoria começa na próxima quarta-feira (1º) para os estudantes identificados no sistema até o dia 27 de maio. Já os alunos identificados até o dia 3 de junho, irão iniciar a monitoria no dia 6 de junho.

São disponibilizadas 52 mil vagas para os estudantes que queiram atuar na monitoria em Língua Portuguesa, Matemática e Iniciação Científica, no turno oposto ao qual estão matriculados. Cada monitor recebe auxílio de R$ 100,00 mensais durante a vigência do Programa Mais Estudo