BA-649 será novo vetor de integração regional || Imagem Zé Drone
Tempo de leitura: 2 minutos

 

Não é possível pensar um desenvolvimento regional sem tocar na necessidade da Região Metropolitana do Sul da Bahia. Trata-se de um imperativo urgente.

 

Efson Lima || efsonlima@gmail.com

O sul da Bahia, após a crise da lavoura do cacau, que abateu as cidades da região e maltratou a principal divisa econômica do Estado na maior parte do século XX, agora, vê-se sendo estruturado sob um modal com forte apelo econômico e com capacidade de atrair outros investimentos: a implantação do Porto Sul, a Ferrovia da Integração Oeste–Leste (Fiol), a construção da rodovia que vai ligar Itabuna – Ilhéus pela outra margem do Rio Cachoeira e a consolidação da Universidade Federal do Sul da Bahia são exemplos, mas todas essas ações exigem cautela e mais acompanhamento.

Estamos diante de uma das faixas litorâneas mais promissoras para o turismo e a continuidade da indústria turística pressupõe um ambiente saudável e atraente aos olhos dos visitantes nacionais e estrangeiros. As cidades de Ilhéus, Itacaré, Canavieiras e algumas outras da região necessitam se preocupar com a implantação desses projetos e a sociedade civil precisa continuar a exigir a apresentação pública das intervenções que estão sendo viabilizadas.

Depreende-se das intervenções esforços conjugados de diferentes esferas de governo, especialmente, do governo estadual, mas os governos municipais e a iniciativa privada podem e devem manter vivos seus fóruns de acompanhamento das ações que estão em curso na região. O sul da Bahia possui problemas que não foram superados, mesmo com ações já adotadas. Por exemplo, tem-se um excelente manancial hídrico, mas a região sofre facilmente com estiagens prologadas quando ocorrem. Merece atenção também o Rio Cachoeira, que parece ter tido seu projeto de revitalização considerado inviável.

O novo aeroporto se impõe como uma necessidade urgente, o mau tempo não pode ser justificativa para não haver descidas e saídas de aeronaves na região.

Há inúmeros investimentos sendo realizados pelo governo do Estado na região como nunca antes, mas há enormes desafios pela frente. Não é possível pensar um desenvolvimento regional sem tocar na necessidade da Região Metropolitana do Sul da Bahia. Trata-se de um imperativo urgente. Sabemos que esse tipo de zoneamento nunca foi levado a sério no Brasil, mas alguns dos problemas perpassam por esse instrumento de planejamento.

Por fim, é imprescindível não desconsiderar a agricultura familiar da região, tão necessária para o abastecimento do estado e, principalmente, a produção do chocolate, que tem se apresentado como uma significativa cadeia econômica no sul do estado, podendo ser implementada nos pequenos municípios. O sul da Bahia tem um legado histórico para a cultura do cacau e parte do imaginário nacional está atrelado a essa cultura. A cidade de Ilhéus pode ser a capital do chocolate de origem, certamente, vai oferecer bom gosto e beleza.

Efson Lima é advogado, professor, mestre e doutor em Direito pela UFBA e membro da Academia de Letras de Ilhéus (ALI).

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.