Atas notariais de notícias falsas crescem a cada período eleitoral, segundo CNB-CF
Tempo de leitura: < 1 minuto

Os cartórios baianos fizeram 3.780 atas notariais que classificam como falsas informações divulgadas via internet em 2021. O número é 31,79% maior do que o de 2020, quanto 2.868 atos desse tipo foram feitos. Os dados são do Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal (CNB-CF), que divulgou levantamento nesta quinta-feira (1ª).

A pesquisa aponta tendência de crescimento contínuo, mas que se acentua sempre às vésperas das eleições, considerando os pleitos de 2014, 2016, 2018 e 2020, quando as chamadas fakes news e os ataques virtuais entre candidatos e seus simpatizantes ganharam maior projeção.

Nas eleições ao Governo do Estado em 2014, foram registrados 189 documentos. Nas disputas municipais de 2016, foram contabilizadas 741 atas notariais, aumento de 292%. Já na corrida para governador de 2018, ano em que as fake news tiveram maior repercussão, o número de atas notariais teve um crescimento de 884% em relação a quatro anos antes, passando para 1.861 documentos emitidos pelos Cartórios de Notas da Bahia.

“Todos os dias somos bombardeados por um volume imenso de informações e nem sempre temos condições de distinguir o que é fato e o que é fake. A internet, de certa forma, vem cada dia mais sendo uma colaboradora da propagação de notícias falsas. Para resguardar as pessoas e os profissionais que são vítimas, os candidatos injustamente implicados e o processo eleitoral, como um todo, a ata notarial constitui uma ferramenta extremamente útil para garantir respaldo jurídico na produção de provas robustas”, diz o presidente do CNB-BA, Giovani Gianellini.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.