Márcio (de chapéu) teria contrariado interesses de Dorival, segundo investigação || Fotomontagem
Tempo de leitura: < 1 minuto

O vereador Dorival Freitas Macedo (PSOL), de Itaeté, foi alvo de mandados de busca e apreensão no âmbito da Operação Stone, nesta terça-feira (6). Sargento aposentado da Polícia Militar, ele é um dos suspeitos do assassinato de Márcio Oliveira Matos, em janeiro de 2018.

Na época, Márcio era dirigente estadual do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e secretário de Administração de Itaeté, município da região da Chapada Diamantina. Ele foi morto na frente do filho de 6 anos, na propriedade rural onde morava em Iramaia, a 30km de Itaeté.

A suspeita é de que a vítima teria contrariado interesses de Dorival, após identificar fraudes contratuais e reduzir despesas da Secretaria, segundo as investigações, que são coordenadas pela Corregedoria-Geral da SSP-BA. O trabalho operacional cabe à força-tarefa de Combate a Grupos de Extermínio e Extorsão Mediante Sequestro.

ROL DE SUSPEITOS

A Operação Stone foi autorizada pela Vara Criminal de Barra da Estiva. Os alvos foram as casas de Dorival e de um ex-secretário de Finanças do município, além do gabinete do parlamentar. O ex-secretário e um terceiro homem também são investigados pela morte de Márcio.

Documentos foram apreendidos no gabinete e na residência do parlamentar. Uma espingarda calibre 12, um rifle calibre 22 e uma pistola calibre 6,35 estava em posse de um homem apontado como comparsa do sargento Dorival, como o vereador é conhecido. O homem foi preso por porte ilegal de arma.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.