Ministério da Agricultura nega mortes por causa da doença da "Vaca Louca"
Tempo de leitura: < 1 minuto

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou, nesta segunda-feira (10), nota sobre os casos de doenças neurodegenerativas investigados no estado da Bahia. Informou que os casos não estão relacionados à Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) – variante da DCJ (vDCJ), conhecida popularmente como Doença da “Vaca Louca”.

Nesta segunda-feira foram divulgadas informações de que duas pessoas morreram vítimas da doença na Bahia e outras duas estariam internadas, mas o estado de saúde delas não foi divulgado até o início da noite. As pessoas doentes são moradores de Salvador.

Segundo o Ministério da Saúde, um caso está em investigação e ainda falta realizar exames para confirmação do diagnóstico. Disse que as informações disponíveis, até o momento, indicam para um possível caso de Doença de Creutzfeldt-Jakob (DCJ) esporádica, forma que não possui relação com a ingestão de carne e subprodutos de bovinos contaminados com Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) clássica e que não é transmitida de forma direta de um indivíduo para outro.

O Brasil detém, desde 2012, o reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA) como país de risco insignificante de EEB. O Ministério da Agricultura informou também que o consumo de carne e produtos derivados de bovinos no Brasil é considerado seguro, não representando risco para a saúde pública.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.