Tempo de leitura: < 1 minuto

A Agência Baiana de Defesa Agropecuária (Adab) divulgou há pouco que a última campanha de vacinação contra a febre aftosa atingiu índice de cobertura 96% do plantel de bovinos e bubalinos em todo o estado.
A segunda etapa da campanha foi a mais longa da história. Iniciada em novembro, a vacinação foi prorrogada devido à grande estiagem em quase todas as regiões da Bahia nos dois últimos meses do ano passado.
O percentual garante o certificado de zona livre da doença. Segundo o secretário estadual de agricultura, Roberto Muniz, a meta é obter o certificado de zona livre sem vacinação, equiparando-se a Santa Catarina.

4 respostas

  1. No momento que o gado for totalmente rastreado, os 4% que faltaram ser vacinados apareceriam rapidinho, caso contrário ninguém poderia abater, vender, e por aí vai, …!!!
    Aí sim, daria para – tentar – se equiparar a Santa Catarina, caso contrário, é só blá, blá, blá, …!!!

  2. Prezados
    Esse índice de 96% de animais vacinados é uma grande piada. Todo mundo que trabalha com pecuária sabe que isso é uma manipulação dos técnicos da ADAB e de outros orgãos do país para enganar.
    O governo baiano e o federal, também, nunca levaram a sério a questão da defesa sanitária animal. Todo mundo sabe disso. Basta ver o que ocorreu em Mato Grosso do Sul.
    Qualquer pessoa que fizer um levantamento sério vai constatar que em alguns locais do estado nem 50% dos animais foi vacinado em nenhuma campanha.
    Se quizerem uma dica, comecem por Uruçuca.

  3. Deve ser porque o “governo da mudança” contou outros “bois”, ‘confinados em absorventes’, …!!!

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.