Tempo de leitura: < 1 minuto

Terra de Naya onde seria construído o centro de convivência (foto José Nazal)
Terra de Naya, no Cururupe, onde seria construído o centro de convivência (foto José Nazal)

O empresário e ex-deputado federal Sergio Naya,66 anos, pretendia construir um shopping center e um centro de convivência para idosos em Ilhéus, afirmou nesta sexta-feira (20) ao G1 o secretário de Governo da cidade, José Nazal. O empresário foi encontrado morto nesta sexta em um quarto de hotel.
Naya discutiu o projeto com Nazal e o prefeito Newton Lima (PSB) nesta quinta-feira (19), um dia antes de sua morte. Segundo o secretário, Naya esteve na prefeitura acompanhado por um empresário local, que cederia o terreno para a construção do shopping.
Nazal afirmou ainda que o centro de convivência para idosos seria construído em uma área do empresário. “Ele tinha uma área grande, mas a conversa foi só conceitual”, disse.
O secretário disse que Naya aparentava abatimento e parecia “deprimido”. “O prefeito até comentou comigo a mesma coisa quando ele [Naya] saiu”, declarou.

33 respostas

  1. Pronto!
    Agora sem Naya é que não tem mais “shops” mesmo!
    Vamos ter que continuar nos contentando com o galeria …, oooops, com o SHOPPING Jequitibá, que apesar de não sr da Sersan parece que também foi feito com areia da praia: goteira na praça de alimentação e desabamento no piso superior – onde ficam o Damásio, UEC, etc!

  2. Caro Fernando, que pelo jeito vive na “beira-mar”:
    Não cuspa no prato que come, pior é não ter nenhum, …!!!
    Quanto ao Ex-Deputado, agora eu sei que a justiça será feita, pois não dependerá mais dos homens, mas sim de um ser superior, que não falha, não tarda, não se corrompe, …!!!
    Quanto a Ilhéus, parece que está sendo palco de filmagem de um filme de “Far West”, estrelando a turma do finado pezão, tendo como figurantes, a polícia e os turistas infelizes que escolheram este destino turístico: bonitinho mas ordinário, …!!!
    Agora, além do Shopping “Virtual” Iguatemi, a cidade “terá” também o do finado Sérgio Naya. Será que o nome “seria” Shopping Palace II, …?!?!?!
    Vai virar piada o tal “Shopping” de Ilhéus. Parece até o Cemitério de Sucupira, construído pelo “bem amado”, Odorico Paraguaçu, que reviveu após “inaugurar” o tal equipamento comunitário, …!!!

  3. Um elemento que arrebentou o asfalto do cururup e ainda fican dando manchete á êsse marginal. Que o sataná o leve.

  4. ele era dono de um grande terreno logo apos o cururupe onde tem umas casas de madeira q foi invadida e ele queria contruir o lar dos velhinhos.

  5. Eu tenho uma dúvida:
    Sei que muitos Advogados(as) têm acessado o blog, comentam, etc., e poderiam me esclarecer uma coisa:
    Com a morte do Sérgio Naya, e a consequente divisão de bens, dinheiro, etc., será que muda alguma coisa na situação do pessoal dos apartamentos que foram abaixo no Edf. Pálace II e ainda estão esperando indenização, ou não, …??? Ou o pior aconteceu, isto é, as pessoas perderiam o direito do que estavam pleiteando, de vez, com a morte dele, …?!?!?!
    Agradeço antecipadamente a disposição, caso algum (a) profissional se manifeste a respeito, no sentido de informar, e respondesse. Confesso que é pura curiosidade de um leigo no assunto, …!!!

  6. Caraca.
    Esse Sérgio, que é professor da Uesc, não dá mais aula não?
    Cacete, escreve no blog mais que os autores do site.
    Não deve estar sobrando tempo para dar aula.
    Ele não seria mesmo pago para isso?

  7. Enquanto isso continuamos a gastar nosso din din na galer … no Shopping de Itabuna.
    É o compercio da cidade vizinha que tem que nos agradecer, caro Sérgio Oliveira, e não o contrário.
    … não, não! Não tem motivo algum pra piada não, Sérgio Oliveira – o assunto é sério. Piada nem mesmo a epidemia de dengue em Itabuna!

  8. Aff…
    Quanta gente ruim escreve nesse blog!!!
    Gente o momem morreu!!! Ele é um ser humano igual a vocês!!!
    Aliás não,ele não é igual a vcs. Ele não desejou a morte de ninguém, como vcs estavam desejando a dele!!! É por essas e outras que às vezes da vergonha de Ilhéus!!! O povo baixo viu!!!
    E ainda tem inveja de Itabuna não é Fernando???
    Quanta coisa triste!!!

  9. O povo de Itabuna já retribuiu, há muito tempo, gastando dinheiro nas barracas de praia “limpas” aí da cidade vizinha, …!!!
    Só não dá para almoçar por aí, pois os restaurantes costumam “fechar para almoço”. “Coisas de Ilhéus”, …!!!
    Quanto às aulas na UESC, como eu só ensino na Pós-Graduação, Mestrados e por aí vai, só a partir do dia 09/03/2009. Aulas, agora, só para fantasmas, como os que ficam bisbilhotando a vida alheia. A pior coisa é gente desinformada, …!!!
    Fora disso, escrevo o tanto que eu quiser, sobre o que eu quiser, quando eu quiser, onde eu estiver, pois ainda não é pago, …!!!

  10. Se fosse pago, o liso do Sergio Oliveira não escrevia!!!rsrsrsrs
    Quiz dizer que ele foi responsável pela morte de sete, mas acontece que ele não teve a intenção de matar ninguém, apenas assumiu o risco (pra quem não sabe a diferença de intanção e assumir o risco, é spo pegar qualquer livro de Dir. Penal e lê), essa é pra vc tb Ségio, já que não entendeu minhas colocações acima!!!

  11. Oh gente, sacanagem…
    Não sou professora, ainda tenho muito o q aprender, mas olha só o q gerou lendo todos esse comentários ai q li:
    Uma das formas de descriminação racial é:
    >> A intolerância – é a falta de respeito pelas práticas e convicções do outro. Aparece quando alguém se recusa a deixar outras pessoas agirem de maneira diferente e terem opiniões diferentes. A intolerância pode conduzir ao tratamento injusto de certas pessoas em relação ás suas convicções religiosas, sexualidade ou mesmo à sua maneira de vestir. Está na base do racismo, do anti-semitismo, da xenofobia e da discriminação em geral. Frequentemente, pode conduzir à violência. A intolerância não aceita.
    Já pensou se os Ilheenses e Itabunenses não viverem em harmonia? o q seria de Ilhéus sem Itabuna e vice-versa? Eu amo meu povo e amo vcs de tabocas em uns que amo e admiro ai.

  12. Eita!
    Vou ser sincero: não estou nem aí para morte desse cidadão. O meu pesar vai para o “shops”, que agora não vai sair do papel mesmo!
    Quanto ao discurso apaixonado e cego do Sérgio Oliveira por Itabuna, só posso dizer que sei e conheço os problemas de minha cidade – e eles são muitos! Também reconheço a importância de Itabuna para a região.
    Mas, meu caro – em matéria de culinária estamos muito melhor que Itabuna. Restaurantes especializados por aqui é o que não falta (Mandarim, Toca do Gringo, Pier Sushi). Uma pena que o Senhor (devido respeito) perca seu tempo escrevendo e lendo besteiras na desciclopédia!
    Vai comer um MCDonalds (argh!) que é melhor!

  13. calma amigos! a diferença entre ilhéus e itabuna é a mesma diferença entre qualquer bairro da bahia ou do brasil…
    ou será que poucos kilometros (+- 20) fazem tanta diferença assim?
    no rio, sao paulo e etc, grande parte das pessoas percorrem distancias muito maiores diariamente para estudarem ou trabalharem, sem falar que ilheus cresce em direçao a itabuna e vice-versa, isto enquanto o pedagio nao vem, pois este sim será o apartaid desejado por muitos aqui.
    o povo compra um carro economico e robusto porque os voos sao caros e as estradas esburacadas, aí o governo coloca pedagio…
    pagar p sair da uesc em direçao a itabuna ou ilheus é uma bestialidade tamanha!
    aos que defedem o pedagio, que sigam a sugestao do amigo acima q indicou livro juridico, nesse caso, tributario, pois ja pagamos as reformas e melhorias das estradas no ipva e essa tambem já foi a justificativa pro icms ha algumas decadas… socorro!
    sera q vou pagar mais caro se eu quiser ir de onibus ? claro!!!!

  14. Em momento algum eu quis agredir ou discriminar a Ilhéus nem aos seus autóctones, pois mesmo sendo diferentes, somos dois povos muito próximos, além das cidades serem complementares, pois aqui o comércio e os serviços são oforte, enquanto por lá a hotelaria e as praias são destaque, …!!!
    O problema é que ir a Ilhéus ficou muito complicado, pois não sou policial e, por isso mesmo, não possuo roupas à prova de balas nem tão pouco carro blindado, …!!!
    Já maginou alguém estar curtindo a cidade das praias e, de súbito, “encontrar uma bala perdida”, …???
    Melhor não arriscar e ai d’eu saudade, …!!!
    Mesmo assim fiquei pasmo com o tanto de opções que o insigne comentarista Fernando citou, em termos de restaurantes: Incríveis 03 (três) opções. Desta forma terei que ir a Ilhéus, semanalmente, “por mais de um ano” até repetir a ida a um mesmo estabelecimento, …!!!
    Nem Salvador tem “tantas opções” assim, …!!!
    Te cuida New York, com seus 26 mil restaurantes, ou mesmo São Paulo, com 10 mil, que Ilhéus vem aí, com, …, “três”, …!!!
    Só mais um lembrete: Mc Donalds daqui não é restaurnte, mas lanchonete / sorveteria. Restaurantes eles costumam montar em eventos tais como olimpíadas. O equívoco (desconhecimento) na classificação entre categorias é perfeitamente aceitável, pois deve ser porque aí não tem uma unidade do “Mc”, …!!!
    A propósito, onde fica o “parque aquático” aí? Me disseram que seria entre Pontal e Olivença, mas é difícil de ver, talvez por ser “virtual”, tal qual o Shopping, o CEFET, a ZPE, e por aí vai, …!!!

  15. Tomara que comecem logo as aulas da UESC. Pois assim, Serjoca o iluminado e deslumbrado, poderá continuar a exibir a sua plumagem de PAVÃO para os alunos, que infelizmente são obrigados a atura-lo.
    Vá gostar de aparecer assim no raio que o parta…

  16. Oi Sergio. Não haverá qualquer problema para o pessoal receber as indenizaçoes devidas, desde que o tal do Naya tenha deixado algum dinheiro ou bens em seu nome, pois, ao que parece, ele tinha muitos laranjas, tipo um ACM da vida….ou da morte…..(humor negro)….

  17. O Prof. Sergio Oliveira, precisa saber a difença entre Eng. Civil e Arquiteto. Sergio Maya não era Eng.Civil era Arquiteto, e Aqrquiteto não tem obrigação de verificar cálculos de plantas dos Ed. Palace I,II, quem tinha obrigação de fazer os cálculos,pilares, ferragens, material a ser usado era o Eng. Civil. Tanto que ele foi condenado e Sergio Naya, somente responde o processo pelos danos material, e mais só não pagou todas as indenizações, porque a Justiça Federla, não apresentou o quanto ele devia pagar a cada família das vítimas.Dinheiro ele tinha para mandar clar a sua boca grande, de tanto escrever asneira no pimentanamuqueca.Uma das maiores empresas de Construção que opera em Brasilia desde sua fundação, a Servisan, esta la no mesmo lugar e Sergio Naya , não mais e sócio da Empresa.
    Saudações,

  18. Quanta besteita um professor que ensina na Uesc, que esta entre estas duas cidades irmãs, mais se encontra no municipio de ilhéus e foi doada por um Ilheense. Ele deveria estar mais preocupado em melhorar a qualidade do seu ensino e não ficar mordendo e assoprando para falar mau de lhéus. Não presimos de que vc venha curtir nossa cidade, mais não fale sobre ela, devemos nos respeitar. A violencia em Itabuna estatisticamente é muito maior de que Ilhéus, mais nem por isso deixo de ir a Itabuna cidade que gosto muito. Pense bem antes de criticar, saudações Ilheense

  19. Sérgio Oliveira, o processo segue sem problemas. Tudo que, por ventura venha a ser passado para família, deve servir para indenizar às vítimas, até o limite dessa herança.
    Ou seja, só a herança dele pode servir como indenização. Se por um acaso seja insuficiente, acaba por ai. Ninguém pode pagar por uma “pena” de outra pessoa.
    Não sou advogado, mas esse é um preceito constitucional.

  20. Agradeço muito às informações de âmbito jurídiso. Muito esclarecedorea. Parabéns aos comentaristas esclarecedores, …!!!
    Agora uma coisa não podemos deixar de ressaltar. Se aqui em Itabuna nós tivéssemos uma população tão cuidadosa em defender a “imagem” da cidade, a atual epidemia de dengue não passaria de ataques esporádicos do mosquito, …!!!
    Tem um ditado que diz: Uma mentira dita muitas vezes, por muitas pessoas, torna-se uma verdade, …!!!

  21. Show de bola esse forum..kkkkkk
    quero mandar uma mensagem para o além!
    CHUPA SERGIO NAYA!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  22. Prof. Sergio Oliveira
    Como vc mesmo, afirma que vem a Ilhéus curtir suas praias e belezas naturail , mas não almoça em Ilhéus.Não almoça por falta de rstaurantes bons!Aqui temos uma das mais apreciadas comidas.Tem para todos os gostos, chinesa, coreana, japonesa, francesa,comida da terra da Gabriela, camarão peixes, catados e aida tem , os famosos self serviçe.O que seu diheiro a meu ver, não da e para sentar em um desses restaurantes e mandar vir a vontade sem olhar o preço.Por iso como deve frequequetar praias mais desertas, leva uma cerveja em lata, um suco de limão, sanduba de motadela para a garotada e não poderia faltar uma jaca, para tirar o gosto.Agora falar que Ilhéus não tem bons restaurantes, e menospresar a nossa inteligência e também deo pobo grapiuna que frequenta nossas praias que também são suas é de todos nós.Quanto eu tinha um trabalho que ganhava pouco, não pedi almento de salário a meu patrão, pois sabia de antemão que ele iria me colocar no lho da rua, batalhei e procurei outro trabalho de melhor remureração, e hohe quando ssiu com a família o amigos não fico pensando no que vou gastar, penso só que vou degustar.

  23. Concordo com o Prof. Sergio Ramos, frequentar praias em pleno verão em Ilhéus custa caro mesmo, a cidade esta cheia de turistas e nossos có-irmão de Itabuna estão aqui lotando as belas praias e gastando a vontade.Mas pode vir tranquilo e trazer a garotada, só não esqueça de trazer uns sandubas de pão com mortela e uma jaca, procurar uma praia bem distante e ficar a vontade.Frequentar restaurantes de primeira categoria em Ilhéus custa um bom dinheiro, e sabendo que o prof. tem lá família para sustentar, que o salário de funcionário público estadual é pouco, não da mesmo para ir a bons restaurantes.Mas da para frequentar as praias mais distantes e curtir a vontade, chegar em Itabuna e arrotar que comeu lagosta.
    Adilson Marques

  24. Gostaria de declarar uma coisa, com orgulho:
    Admiro muito o UFANISMO dos comentaristas ilheenses, …!!!
    Vocês estão certos. Tem que ser assim mesmo!
    Agora um recadinho a uma certa pessoa. Não adianta dizer que ganha muito (e viver apenas para sair e comer, tal qual gado de engorda), se não sabe escrever corretamente. Que feio!
    Pelo menos revisa o texto antes, pois quem critica os outros também pode ser alvo de críticas, …!!!
    Não vou nem falar a respeito do “show de competência” da “Medicina Legal” ilheense. Que lambança! Precisou levar o cadáver para Itabuna, para ser submetido a outro exame, para que fosse considerado necropsiado oficialmente, …!!!
    Certamente o “médico legista” daí também deve ter muito dinheiro para sair todos os dias e comer nos “restaurantes das mil e uma noites”. No entanto, a “competência”, …!!!
    Prefiro comer “goiabada com jaca” mesmo, como disse o comentarista, mas pelo menos meus trabalhos publicados em revistas indexadas nacionais e internacionais ninguém contestou até o momento, …!!!
    Cuidado se alguém atirar uma gramática em ti. Pode ser considerado um “atentado”, …!!!

  25. Deus me livre ser professor da Uesc.
    Pelo nível do que leio…
    Melhor ser taxista mesmo.
    Oh professorzinho retógrado.
    Daqui a pouco nas aulas de “pós” dele, vai ficar discutindo se a Uesc é em Ilhéus ou em Itabuna.
    Nossaaaaaaaaa.
    Ele deve ter vindo de NOva Iorque!!!!!!!

  26. Há muitos Professores da UESC, inclusive o Reitor, que moram em Ilhéus, oriundos de São Paulo, Rio, Minas, do sul do país e muitos outros lugares, além dos que são naturais daí.
    Vou mostrar a eles a idéia que os autóctones fazem deles, já que todos temos a mesma faixa salarial. São cerca de trezentos com suas respectivas famílias, além dos que nasceram por aí mesmo. Eles, certamente, “irão adorar a idéia que fazem deles”, …!!!
    Vou aproveitar para perguntar “em qual favela eles moram” pois, pelo quadro que pintaram em alguns comentários anteriores, os coitados não terão vez alguma num lugar tão caro, excludente, discriminante e, “para poucos”, …!!!
    É assim que ficamos sabendo das coisas, …!!!

  27. Prof: Sergio Oliveira, os erros de gramática, até o erro de troca de nomes, que o Prof:não observou lhe tratei de Prof. Sergio Ramos, foram proposital, simplesmente para te aborrecer, como já anda certamente aborrecido, as aulas estão prestes a começar dia 02/03/09, certamente vamos nos encontrar na UESC, e bater um papo, e quem sabe até tomar uma gelosa, ali no inferninho, pode esquecer a carteira em casa, faço questão de pagar.E não se preocupe podemos beber e comer a vontade, vai ter um motorista de plantão, que vai tomar só água mineral, para lhe dar uma carona até Itabuna.Pena que agora não vai mais dar tempo de lhe convidar para comer um camarão aqui em casa, pois também as aulas da UFBA, estão começando e tenho que ir a Salvador levar os filhos, que estudam na Capital.Ano letivo é foda mesmo.Mas não deixe de vir a Ilhéus somente por ser muquirana, venha de busú, ou de carro, são somente 28 km de distância que nos separam!Curta a vida enquanto pode, depois que a velhice chegar é um tal de “Condor”, que não deixa vc fazer nada!
    abs,
    Adilsom Marques

  28. Chatinho esse Sérgio Oliveira, não!
    Qual a discussão aqui? Qual cidade é melhor?
    Se fosse qual está em pior situação, eu até entraria na briga; mas …
    Porém, uma constatação tenho que fazer: se um empresário (e aqui estou falando do EMPRESÁRIO Sérgio Naya, sem qualquer avaliação sobre o caráter dele; pois não é pertinente ao comentário) estava decidido a fazer um empreendimento de grande porte na cidade é porque certamente ele teria retorno financeiro.

  29. Se um “EMPRESÁRIO” é responsável pela morte de várias pessoas, decorrentes de um empreendimento feito por uma construtora de propriedade dele, “acidente” de repercussão nacional, e até mundial. Há mais de dez anos a briga continua na justiça e continua se negando a pagar as indenizações pertinentes às famílias prejudicadas, a quem quer que seja, ainda tem gente querendo um empreendimento de uma pessoa desta na sua cidade, imagina que tipo de gente é esse, …!!!
    Bem que dizem que aqui na região “o muro é baixo”, qualquer um entra e sai, faz o que quer, pois as pessoas são subservientes, aceitam qualquer coisa e/ou condição por um punhado de dinheiro e/ou poder, daqueles que, supostamente, podem “comer em bons restaurantes e pagar contas astronômicas”, esquecendo que a “cobrança” vem em dobro depois, mediante golpes e outras artimanhas, como já tem ocorrido ao longo do tempo, …!!!
    E essas mesmas pessoas ainda acham que têm moral suficiente para criticar, rotular, quem quer que seja, …!!!
    Na pior das hipóteses, é muito melhor ser chamado de chato, farofeiro, proletário, ou coisaa que o valha, que …!!!
    Para “bom entendedor”, meia palavra basta, …!!!

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.