Tempo de leitura: < 1 minuto

Senador diz que PMDB se oferece a quem paga mais

Eduardo Kattah | Estado de São Paulo

O senador Pedro Simon (RS) disse que “o PMDB está se oferecendo para ver quem paga mais e quem ganha mais” na articulação para a eleição presidencial em 2010. Numa entrevista publicada ontem pelo jornal O Tempo, Simon afirmou que o processo de escolha do partido se dará entre a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), e o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), ambos pré-candidatos ao Planalto.
O senador Simon é um dos líderes da ala favorável a que o PMDB lance um candidato próprio à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Simon criticou os “métodos de condução” do atual comando do PMDB. Disse que a direção “não está à altura do partido”.
Sugeriu “uma limpa” na legenda e disse que no governo do presidente Lula a maior parte dos correligionários peemedebistas utiliza como moeda de negociação com o governo federal a ocupação de espaço na máquina pública. “Passou a ser a política de quem paga mais. Eles ficam esperando para ver quem paga mais”, insistiu o senador.
Simon lembrou que a mesma situação ocorreu durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). “O PMDB fez de tudo para agradar Fernando Henrique e conseguiu ”carguinhos”. Agora faz a mesma coisa com Lula.”
Peemedebista histórico, o senador gaúcho foi um dos poucos integrantes da legenda a se solidarizar com as críticas do senador Jarbas Vasconcelos (PE) ao partido. À revista Veja do dia 18, Jarbas disse que “boa parte do PMDB quer mesmo é corrupção” e que “a maioria de seus quadros se move por manipulação de licitações e contratações dirigidas”.
Leia mais

3 respostas

  1. O Senador Pedro Simon é uma “espécie de político” em extinção, ainda é daqueles que falam a verdade, custe o que custar, doa a quem doer, …!!!
    Bem que a Bahia merecia um desses pois, além de tudo, ainda é atuante. Já os políticos que temos por aqui não chegam nem perto do que ele representa para o RS, …!!!
    Querem ver uma coisa: Digam, sem parar para pensar, quem são os três Senadores que representam o Estado da Bahia? Duvido que alguém não tenha parado um pouco para pensar, antes de dizer, …!!!
    O pior é que isso não irá mudar tão cedo, pois o mandato de Sanador é de oito anos (uma eternidade) e, pelo que sabemos, os candidatos que vêm aí são tão apagados quanto os que lá estão. Por aqui ser Senador é uma espécie de “trofeu abacaxi”, …!!!
    Triste Bahia, …!!!

  2. Sempre afirmei, que o PMDB é um partiidoo de oportunistas,de negociatas, e marcado pela corrupção.O PMDB de hoje não é, mais o PMDB dos ideologistas que fundaram o partido.Tancredo Neves, Ulisses Guimarães, Severo Gomes, Pedro Simon, Teotônio Vilela, vai para onde o vento balança mais…”negociatas de cargos”, e corrupção, são seu lema.PMDB, PCdoB, são partidos da velha guarda, perdeu a memória após a morte de seus antigos fundadores,hoje não passam de mulas para quem pagar mais, e der mais cargos no Governo Federal e Estadual.
    Na eleição municipal de 2008, quando o PMDB juntou com o PT em Ilhéus, afirmei em nota publicada no site R2Cpress, Prá não dizer, que não Falei das Coligações, deu no que deu, amargamos uma derrota,de mais de 36.000 (tinta e seis mil votos), de frente para o atual Prefeito Newton Lima.Onde reune o quarteto, Renan Calheiros,José Sarney, Geddel Vieira Lima e Michel Temer, boa ooisa não vai sair..E agora José, em tribos de indíos que muitos caciques, ninguém sabe quem manda mais!Também vão querer punir Pedro Simon, como querem punir Jarbas Vasconcelos, expulsar do partidos dois idealistas fundadores do PMDB. O bicho vai pegar, no Senado e Câmara.Quem viver verá!Melhor não séria, extinguir todos os partidos e só existir dois, Arena e MDB, como nos velhos tempos da ditadura militar?

  3. RETIFICAÇÃO:
    No comentário, boa ooisa, digo boa coisa não vai sair.
    em tribos de indíos que muito caciques: Digo em tribo de indíos de muitos caciques, ningúem sabe quem manda mais!
    No resto da matéria , mantenho o que disse sem tirar ou colocar uma vírgula.
    Melck Rabelo

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.