Tempo de leitura: < 1 minuto

O trovador das agulhadas foi temporariamente subtraído de nossa trincheira pelo mosquitinho petulante. Mas Agulhão venceu a batalha e sobreviveu para contar sua história.
Volto outra vez ao espaço do conflito,
depois de quase fatal acidente,
com tapa, larvicida e repelente,
em luta colossal contra um mosquito,
marginal periculoso, descrito
como “egípcio” fornido, bem criado,
com aquele jeito de cabra safado,
muito do besta, arrogante, briguento,
provocador de grande sofrimento,
bicudo, feioso, despudorado.
Fui atacado por ser distraído,
dei com os costados lá no hospital,
cheio de dores, todo enfraquecido,
fiquei três dias na horizontal…
Mas reagi, logo pulei da cama,
já estou pronto para a humana lida,
posso dizer que no final do drama
o Aedes morreu e eu voltei à vida!…

2 respostas

  1. Deus sabe o que faz, o que não mata nos fortalese, á agulhinha dese mosquito não pode derrotar o agulhão afiado.

  2. Alô,você, Agulhão. Ficou provado por a+b que você é maisd terrível que o maletroso mosquito e nós, que curtimos seu talento, estamos satisfeitos com seu retorno. Um abraço desse blogueiro de plantão.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.