Tempo de leitura: < 1 minuto

O ministro da saúde, José Gomes Temporão, esteve hoje em Salvador e afirmou que, há quatro meses, alertou os gestores municipais sobre os riscos de uma epidemia da dengue na Bahia. O alerta foi emitido após a divulgação dos datos do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (Liraa), no final de outubro.
O ministro alertou-os também  “para o risco de descontinuidade das ações de prevenção à dengue em momento de transição de governos municipais.  Nesta segunda, Temporão lamentou o fato de esses alertas não terem sido suficientes para impedir o avanço da doença em algumas cidades baianas.
O alerta parece nao ter servido para municípios como Itabuna. O governo do ex-prefeito Fernando Gomes praticamente não desenvolveu ações efetivas para inibir a epidemia deste ano. E o governo que o sucedeu, de Capitão Azevedo, não desenvolveu ações emergenciais – apesar do alerta do Ministério da Saúde.
Hoje, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) informou que o número de mortes causadas pela dengue já atinge 25 em todo o estado. Esses dados se referem apenas às mortes confirmadas pela doença. Itabuna e Porto Seguro lideram em óbitos causados pelo Aedes aegypti, com cinco registros cada uma. O terceiro lugar é ocupado por Jequié, com três óbitos registados logo no início da epidemia no município.

6 respostas

  1. “Foram quatro anos de abandono de falta de compromisso com a saúde. A situação só não ficou pior”, disse Wagner, “porque foi suspenso o repasse de verbas nos últimos meses de 2008, do contrário R$ 28 milhões teriam ido pelo ralo”, disse o governador isentando-se de responsabilidade pela situação de emergência que vive Itabuna, em razão da proliferação da dengue.”
    fonte: http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/2009/03/13/ult4477u1432.jhtm

  2. Wagner deve até saber, mas acho que o ministro nem sabe que o prefeito fez carnaval, enquanto a dengue crescia.
    Cadê que ele fez a cobertura do canal no centro da cidade, como ato emergencial ao se tornar prefeito? Cuma disse que cobriria, mas esse já sabemos que não fez nem o dever de casa, era de se esperar.

  3. política a parte: mas, querer se isentar de responsabilidade, governador e secretário estadual, justiicando que o governo municipal errava, ai é demais. espero que os ministérios publicos estadual e federal, façam a sua parte e responsabilize criminalmente, todos os envolvidos. por que o governador com a autoridade do cargo não enquadrou o prefeito e demais funcionários, por que não apresentou denúncia ao ministério público. que se aplique o verbo correto: eles falharam !!

  4. Dizer que o Governo Estadual falhou é muito facil pra poder esquecer que a verdadeira a culpa é do municipio, pois, se vcs não estão se esquecendo que a saúde é uma responsabilidade municipal, é de dever do Governo Federal e Estadual, repassar a verba necessária para o municipio poder administrar, e isso foi feito, o dinheiro veio, 8 milhões, e ai pra onde foi? O governo estadual tomou a saude do municipio e em dois meses ja reabriu, ruim ou mal, o São Lucas, fez uma sala especial no Hospital de Base pras crianças, que infelismente tive com meu filho lá e tinha uma grande quantidade de gente, mais e ai, cade os medicos, pra ser exato os 51 médicos que o prefeito disse que iria contratar, o secretario municipla de saude quer que o municipio tome conta novamente da saúde, por que será? culpar é facil, esperar que o Governador entre com uma ação no Ministerio Publico é facil, e nós pq não entramos com esta ação? espero que eles e nós tenhamos a consciencia que tbm somos culpados de não combrar deles e esperar que tudo venha de mão beijada.

  5. Todos falharam.
    De uma forma ou de outra, tanto o Governo estadual quando o federal também têm culpa, pois não basta enviar dinheiro aos municípios. Têm que fiscalizar, intervir, tomar medidas (não apenas após a desgraça já estar comprovada), …!!!

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.