Tempo de leitura: < 1 minuto

Profissionais que atuaram como capacitadores na jornada pedagógica promovida pela Secretaria de Educação de Itabela, no extremo-sul baiano, estão há um mês esperando em vão pelos seus pagamentos. Uma professora que entrou em contato com o Pimenta conta que dedicou três dias de trabalho, em troca de R$ 420,00, assim como outros educadores vítimas do mesmo calote.
Além de questionar a importância que essa gente dá à educação, a professora ficou com uma pulga atrás da orelha em virtude de outro fato. Quem intermediou as contratações dos capacitadores foi a filha do prefeito de Itabela, Vanessa Caribé.
Questiona a professora: isso não seria um caso de nepotismo?

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.