Tempo de leitura: < 1 minuto

A crise econômica definitivamente bateu na porta das prefeituras. A queda na arrecadação virou pesadelo para os gestores que venceram a eleição em outubro sem imaginar que em janeiro receberiam um abacaxi para descascar. Alguns já temem o impacto da bancarrota nas folhas de pagamento e a possibilidade de perder a sintonia com a Lei de Responsabilidade Fiscal.
Nas prefeituras da região cacaueira, já se fala em eliminar várias despesas, a exemplo dos gastos com hora extra.
O tempo é de choro e ranger de dentes…

5 respostas

  1. O Problema de Azevedo foi colocar na secretaria mais importante de seu governo o “planejamento” um tecnico de informatica Mauricio atayde!!!!!!……..que não é do ramo.
    O que ele fez de mais importante foi trazer seu melhor amigo de new iork que passava por dificuldades por lá.
    “a verdade nada mais que a verdade”.

  2. TÔ DE OLHO… ESSE DISCURSO É DE QUEM TEM COMPROMISSO COM ALGUMA PREFEITURA ,PREFEITO OU SECRETÁRIO , CUIDADO SEU PIMENTA ESSE É VERDADEIRAMENTE O QUE OS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS NÃO QUEREM OUVIR EM PLENO MÊS DE CAMPANHA SALARIAL.O SALARIO MINIMO AUMENTOU MAIS UMA VEZ E A PERDA JÁ CHEGA A 311%.É COM MATERIAS COMO ESSA OS PREFEITOS SE SENTEM NA OBRIGAÇÃO DE NÃO DAR NADA PARA NÃO DEMITIR .O QUE NA PRATICA É UMA VERDADEIRA FALACIA JÁ QUE ESSE MÊS É O MÊS EM QUE AS PREFEITURAS MAIS ARRECADAM COM SUAS RECEITAS PRÓPRIAS DIGO IPTU ISS ALVARÁS ETC.SE NÃO DÁ PARA AJUDAR TAMBÉM NÃO ATRAPALHEM… E OS SERVIDORES AGRADEÇEM.

  3. E ainda tem Prefeito de vilarejo querendo contratar artista de primeira linha para fazer festa, já agora em junho, …!!!
    Durma com um barulho destes, …!!!

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.