Tempo de leitura: 2 minutos

Daniel Thame
Apesar da tão propalada crise, cerca de 130 milhões de ovos de chocolate serão comercializados durante a Páscoa, um crescimento de 8% em relação a 2008.
Deveria ser motivo de foguetório no Sul da Bahia, principal produtora de cacau do país.
Mas não há motivo para foguetório algum, visto que a região é apenas produtora de cacau e não de chocolate. É mera fornecedora de matéria-prima, como se ainda habitássemos no Brasil Colônia.
Os números falam por si. Enquanto o mercado de cacau em amêndoa movimenta 300milhões de reais por ano no Brasil, o mercado de chocolate atinge 4 bilhões de reais. Uma diferença brutal, impressionante. Os fabricantes faturam 13 vezes mais do que os produtores.
Estados como São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, que não possuem um mísero pé de cacau, tÊm fábricas de chocolate de médio e grande porte, sem contar as empresas artesanais, que produzem chocolates finos, a preços de dar água na boca para quem vende a amêndoa a preço de banana.
Aqui no Sul da Bahia, a produção de chocolate é ínfima, insignificante. O Chocolate Caseiro de Ilhéus é uma experiência bem sucedida, mas isolada. Um nada dentro do nada, se comparado à produção nacional.
O aumento do consumo de chocolate, durante todo o ano e não apenas na Páscoa, é uma tendência mundial. Mais consumo, mais demanda, mais negócios, mais renda, mais emprego.
Enquanto isso, o Sul da Bahia continua sua sina de plantar, colher e entregar para outras regiões industrializarem, num ciclo vicioso que perdura há décadas, como se isso nos bastasse. A realidade atual mostra que não nos basta.
É tão óbvio, que não se entende porque a Região Cacaueira não adotou um projeto de produção de chocolate, absorvendo uma fatia significativa desse mercado que não para de crescer.
A Ceplac desenvolveu recentemente uma tecnologia para a produção de chocolate com alto teor de cacau. Verdadeiro manjar dos deuses, mas essa tecnologia ainda não conseguiu romper os muros da instituição, ainda que o PAC do Cacau tenha entre suas ações a instalação de 20 fábricas de chocolate. Algo que, infelizmente, ainda não saiu do campo das boas intenções.
Temos o apelo de região produtora do cacau de melhor qualidade do mundo, de ter em Jorge Amado um ícone de primeira linha e de preservar, graças próprio cacau, uma das áreas remanescentes de Mata Atlântica do país.
Falta, portanto, iniciativa, espírito empreendedor e apoio governamental para fazer com que o Sul da Bahia deixe de ser apenas produtor de matéria prima e possa fabricar chocolate.
Nos iludimos tanto com um fruto que parecia ser de ouro e não é e esquecemos de ovos que parecem valer ouro.
E valem mesmo!
0-0-0-0-0-
Pesquisa de mercado realizada pelo Ibope mostrou que Salvador é a capital brasileira com maior consumo de chocolate do país. 75% dos entrevistados revelam consumir chocolate ao menos uma vez por semana.
Ótima notícia.
Para os paulistas, gaúchos, capixabas…
Leia mais em www.danielthame.blogspot.com

5 respostas

  1. É bom que lembremos que nesta região já tivemos um cooperativismo forte, e que este cooperativismo chegou a construir uma industria para agregar valor às amêndoas que produzimos, aumentando assim a renda regional.
    No entanto, a falta de participação dos cooperados, aliada à insensatez de alguns dirigentes, fizeram com que este sonho se transformasse num horrível pesadelo.
    Quem sabe um dia, depois que o desencanto que hoje vivemos tiver se dissipado, possamos voltar a ter, através do associativismo, condições reais de ingressarmos na industrialização do nosso cacau.
    Espero que tenhamos aprendido as liçoes que tivemos com a COPERCACAU e a ITAISA, e possamos retomar o processo de agregação de valor às preciosas amendôas que produzimos, num projeto cooperado com a participação de tôda a cadeia produtiva do cacau.
    Quem sabe se nesta Páscoa não nos conscientizamos que sempre é tempo de recomeçarmos.
    Aproveitando a oportunidade: FELIZ PÁSCOA.
    Carlos Mascarenhas

  2. Mais uma vez está demonstrado que o cacau, como commodity, não traz riqueza, mas se aqui fabricasse o chocolate, a região seria muito mais próspera, …!!!
    Nunca vi chocolate cair de preço, já o cacau, …!!!
    Engraçado que onde produz cacau não há fábricas de chocolate, apenas procesasamento do chocolate amargo ou, um caso ou outro, de fábricas artesanais, nada de podução em série, …!!!
    Até a Nestlé já foi embora, está com uma nova planta em Feira de Santana, …!!!
    Sempre ficare mos com o “bagaço” e os outros com o “ouro” propriamente dito, …!!!
    Triste Sul da Bahia, nunca evolui, …!!!

  3. Daniel seu deputaduzinho e duble de secretario da agricultura,é que acabou com as ultimas esperanças do produtor nomeando Gustavo Moura para Ceplac e deixando de fora pessoas como Fernando Rios que foi da Copercacau/Itaisa. soube Fernando Rios que foi a verdadeira escolha do ministro da Agricultura Roberto Rodrigues quando este na época era Ministro da Agricultura,a região por culpa de Geraldo Simões deixou de emplacar um grande nome para a Ceplac,um grande nome como o melher da região e do Brasil para o cargo.Por simples inveja ou até mesmo por medo do crescimento de Fernando Rios na Região que na minha humide opinião é um reserva moral pra região e Geraldo Simões devia tomar ele como exemplo e não poda-lo de algum cargo.Acho que se Fernando Rios fosse Diretor da Ceplac Geraldo não perderia a eleição de forma alguma em Itabuna.

  4. Prezado Junior Lisboa:
    Nomear Fernando Rios para a CEPLAC seria uma excelente forma de acabar definitivamente com este órgão.
    Em acabar com insttituições ele é um mestre. Fez isto de forma admirável com COERCACAU E COM A itaisa.
    Ex-empregado da ITAISA

  5. Ex empregado da Itaisa,
    Vcs ex-empregados estão e vão continuar com uma mão na frente e outra atras,porque quem tem um sindicato com Luiz Fernandes há frente não vai para lugar nenhum,olhe defendo e defendi a nomeação de Fernando Rios para a ceplac porque é um homem de respeito e honesto,já que vc está acusando ele de ter acabado a Itaisa me diga uma fabrica da região que mexe com que a Itaisa mexia que era liquor,torta,manteiga e pó de cacau com patrimonio e dinheiro 100% Brasileiro e está aberta,Rapaz meça suas palavras porque Dr Fernando Rios é o homem mais integro que já vi aqui na região,e vcs fizeram tanta coisa para ficar com a Itaisa e a fabrica está fechada,vcs foram bobos de entrarem na onda de Luiz Fernandes ele ta nadando em dinheiro e vcs foram enganados.O problema da Itaisa foi liguidez e não Fernando Rios foi ele que fez todo o projeto vc acha que ele iria acabar com o proprio projeto,pense um pouquinho antes de conversar bobagens.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.