Tempo de leitura: 2 minutos
.

Ricardo Ribeiro | ricardoribeiro@pimentanamuqueca.com.br
É quase um consenso que a última passagem de Fernando Gomes pela Prefeitura de Itabuna foi desastrosa. Nos últimos quatro anos, a cidade não viu nenhuma obra importante e ainda assistiu ao abandono das ações sociais e ao total sucateamento da saúde.
A mortalidade no Hospital de Base quadruplicou, a negligência da Secretaria Municipal de Saúde garantiu à cidade o título de campeã nacional em dengue, a verba do setor foi desviada por larápios, a gestão plena da saúde foi perdida. Tudo isso, num fatídico período de quatro anos.
No entanto, o ex-prefeito, que hoje completa 70 anos, afirma que este seu último governo foi o melhor da história. E, para explicar porque toda a cidade pensa de maneira diferente, ele teoriza: “o problema foi que eu gastei pouco em divulgação”.
Aos que pensam que o septuagenário Fernando está variando ou apresentando sinais de senilidade, muito cuidado! Ele está extremamente lúcido e sabe o que diz. Fernando joga com a conhecida falta de memória do povo e a popularidade decrescente do atual prefeito, Capitão Azevedo.
Ele joga também quando diz que não é candidato. As chamadas de meia em meia hora na Rádio Difusora, com felicitações pelo aniversário e convite para a missa em homenagem ao patrão, são fortes indicativos de que tem coelho nesse mato.
Fernando amanheceu o dia dando entrevista na Maternidade Esther Gomes. Falou das dificuldades enfrentadas pelos municípios, da concentração de receitas nas mãos do governo federal, disse que a Bahia está abandonada… Sinais de uma candidatura que ele já tem dificuldades para negar. Quando perguntado se vai se lançar em mais uma disputa, o prefeito diz apenas que está de férias, ou de licença-prêmio.
No jogo em que aproveita a queda na avaliação de Azevedo, o ex-prefeito naturalmente não parte para a crítica direta. Diz, candidamente, que ainda é cedo para avaliar. E nem precisaria bater…
Raposa velha, FG contrapõe Azevedo apenas com a sua presença ostensiva na cidade, onde pretende demonstrar que tem mais prestígio que o capitão. Hoje é o dia D para Fernando, pois é o dia em que ele usará seu termômetro para aferir a temperatura eleitoral do município. Já Azevedo usou o desconfiômetro e escafedeu-se de Itabuna neste 30 de junho. Longe da cidade, ele está livre da obrigação de bater “parabéns pra você”.
Ricardo Ribeiro é um dos blogueiros do Pimenta.

4 respostas

  1. FERNANDO É O CARA / GERALDO SIMÕES É O CARA…
    Só quem NÃO É O CARA É AZEVEDO.
    Ele e sua equipe consegue ser o PIOR da história de Itabuna.

  2. Zelão, diz: – É o diabo fugindo da cruz!
    Nas comemorações dos seus 70 anos de vida, Fernando Gomes, é analisado na sua vida pública de várias maneiras que apontam virtudes e defeitos. Só não se pode dizer, que seja um tolo.
    Na eleição passada, Fernando, relutou por muito tempo em apoiar a candidatura do capitão Azevedo, que era o seu vice na epoca, e usava como argumento: – “Ele é um frouxo e incapaz de governar Itabuna.” Depóis, vencido ou convencido de que deveria apoiar Azevedo, Fernando, passou a usar o seguinte argumento: – “Não se preocupem. Se ele for eleito não vai governar nada. Maria Alice vai por umas duas putas no gabinete pra ele se distrair.”
    Passados 160 dias do governo do “capitão prefeito” e tendo as pesquisas que apontam para uma decepção dos eleitores que votaram no capitão, não é de se deprezar o fato de que; nas comemorações do seu aniversário e do provável lançamento da sua candidatura a deputado federal em 2010, Fernando Gomes, mui gentilmente, tenha “desconvidado” o “capitão prefeito”. A essa altura do campeonato, tudo o que Fernando Gomes, mais deseja é não ser visto ao lado do “capitão prefeito”, para não ser responsabilizado pelos seus eleitores.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.