Tempo de leitura: < 1 minuto

O IBGE divulgou nesta manhã a estimativa populacional dos residentes em municípios brasileiros em 1º de julho deste ano. De acordo com estes dados, o município de Ilhéus segue tendência do início da década e só faz decrescer em contingente populacional. Em 1996, eram mais de 242.445 mil habitantes e caiu para 219.266 habitantes em 2009, de acordo com o IBGE. No mesmo período, Itabuna saltou de 183.403 mil para 213.656 moradores.

Os municípios mais populosos da Bahia

1º Salvador – 2.998.056

2º Feira de Santana – 591.707

3º Vitória da Conquista – 318.901

4º Juazeiro – 243.896

5º Camaçari – 234.558

6º Ilhéus – 219.266

7º Itabuna – 213.656

8º Lauro de Freitas – 156.936

9º Jequié – 150.541

10º Teixeira de Freitas 125.430

11º Barreiras – 137.832

12º Alagoinhas 137.810

13º Porto Seguro – 122.896

14º Simões Filho – 116.662

15º Paulo Afonso – 106.703

0 resposta

  1. Devo dizer que esses números são apenas resultados de modelos, de tendências, (ESTIMATIVAS), não refletem totalmente a realidade, certamente há um erro admissível, que geralmente fica em torno de (+/- 5%), …!!!

    O problema de Ilhéus, em particular, é que teve a população superdimensionada – superestimada – tempos atrás. Até hoje o referido município ainda sofre com a tendência (espécie de viés de baixa) do modelo utilizado para calcular a estimativa. Na verdade, Ilhéus nunca teve aquela população. Basta analisar uma série histórica do número de eleitores do município, da cobertura vacinal, além de outros indicadores, …!!!

    O que vale mesmo é o CENSO (que gera um PARÂMETRO), que deverá ser realizado no próximo ano. Aí a classificação poderá ser totalmente alterada. Basta observar um indicador interessante, e relevante, que é o número de eleitores dos municípios, geralmente proporcional à população, nos diversos municípios citados, e comparar ao de Itabuna, por exemplo, …!!!

    O grande problema consiste, na época do censo, em fiscalizar para ver se estão fazendo as coisas corretamente (tentar consertar depois é sempre pior), …!!!

    Se houver outro vacilo, certamente as populações poderão ser superestimadas, ou reduzidas, sem retratar a realidade fidedignamente, …!!!

  2. Uai, não entendi nada!!! Tenho um amigo de faculdade, inclusive nos formamos em 2007 no curso de Direito na UFMG, que sempre me falou Itiúba, sua cidade natal. Pessoa espirituosa e boa de prosa, Evaldo, na roda de amigos ressaltava os agouros vividos na metrópole em que nasceu. Engarrafamento em quase todas as avenidas, heliportos lotados, enfim. O caus normal de uma cidade grande. Para surpresa minha a famosa Itiúba não consta na relação acima. Daí ao consultar nos diais oficiais, a cidade natal do dr. Evaldo, a metrópole cosmopolita tem menos de dez mil habitantes. Ê trem de baiano show de bola, enganou a todos durante quase seis anos.
    Antonio Pedro

  3. Já não é de hoje que Ilhéus enfrenta esse processo: população decrescente, economia vacilante, desemprego aumentando.

    As pessoas simplesmente se mudam da cidade, aos montes, em busca de oportunidades melhores em outros lugares.

    A economia da cidade se baseia num turismo parasitário, que praticamente não dá retorno, e na Lavoura de cacau, que tem produtividade inferior a 1/3 da que é alcançada pelos concorrentes.

    Não há a mínima perspectiva em nenhuma das duas atividades.

    A permanecer o cenário atual, o destino de Ilhéus será o mesmo de Detroit, nos Estados Unidos, que já foi a “Capital do Automóvel” e hoje possui os piores índices de pobreza daquele país.

    Ah! E os sinais já estão aí. Detroit também começou a sofrer a partir da redução de sua população e do crescimento do desemprego.

    É preciso entender que Ilhéus só sobrevive se houver uma mudança em seu modelo econômico. Mantidas as coisas como estão, o rumo não se altera. A cidade vai entrar em Colapso.

    A alternativa está ofertada, ainda que desagrade algumas pessoas.

    Ou muda o destino ou sucumbe a si mesma.

  4. Mesmo com essa decadencia e sem pespectivas no presente, ainda existem resistencias ao projeto “Porto Sul”, Ilhéus definha pela economia e a falta de lideres para buscar alternativas.

  5. Ilhéus está afundando!!só não ver quem não quer. O descaso do puder público e a briga política entre partidos,faz com que nossa linda cidade chegue ao abismo,se já não chegou.
    Além do número populacional,Ilhéus perde na economia,Indústrias vão embora,perdemos uma grande maternidade,tivemos um carnaval de quinta,e recentemente o que ninguém esperava!Ilhéus pode perder parte do seu território,é isso mesmo!se técnicos não encontrarem os marcos que delimitam o território do município Ilhéus irá “encolher”.
    OU OS NOSSOS GOVERNANTES MUDAM SUAS MANEIRAS DE AGIR,OU IREMOS AO FUNDO POÇO MAIS CEDO DO QUE PENSO.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.