Tempo de leitura: < 1 minuto

O PP baiano já definiu a estratégia e o tom para responder aos ataques desferidos pelo deputado estadual Paulo Rangel (PT) contra a gestão que os progressistas fazem na Bahia Pesca, autarquia ligada à Secretaria Estadual de Agricultura. Rangel acusou o presidente da empresa, o ilheense Isaac Albagli, de usar a Bahia Pesca para fortalecer (eleitoralmente, falando) o filho do deputado federal Mário Negromonte.

Como se sabe, a denúncia desceu quadrada. Os cinco deputados do PP na Assembleia (sim, eles filiaram Ângelo Coronel, ex-PR) vão para a defesa de Negromonte, presidente estadual dos progressistas, e de Isaac, aliado de primeira hora do secretário-geral do PP baiano, Jabes Ribeiro.

E foi com Jabes Ribeiro com quem o Pimenta conversou há pouco. Segundo ele, “se existe problema [na Bahia Pesca], não é da gestão de Isaac [Albagli], não é de 22 de dezembro para cá”. O ex-prefeito de Ilhéus indicou que os parlamentares da bancada do PP farão a defesa dos integrantes do partido utilizando um tom professoral, didático. Os cinco usarão os espaços possíveis na sessão desta tarde para fazer a defesa.

Tão logo Rangel colocou o dedo na ferida e denunciou o suposto uso da Bahia Pesca, o governador Jaques Wagner defendeu a liberdade de expressão, mas deu um ‘pito’ em Rangel, a dizer que roupa suja se lava em casa (“na base”). E será nessa toada que o PP se defenderá logo mais.

Na última sexta-feira, 2, quando esteve no sul da Bahia, o secretário estadual de Agricultura, Roberto Muniz (confira), afirmou ao Pimenta na Muqueca que o caso se tratava de uma disputa pessoal entre Rangel e a família do presidente do PP baiano. E garantiu que a questão deveria ser resolvida entre os contendores.

0 resposta

  1. Antes que se mensure a disposição do PP de responder às insanas acusações feitas pelo líder do PT na Assembléia Legislativa da Bahia, Paulo Rangel, faz-se necessário uma breve analise do fator motivador, não sem antes lembrar a veia “aloprada” de alguns companheiros, a exemplo da campanha de 2006, quando tentaram comprar um dossiê contra José Serra, sendo que a fatura já estava liquidada em favor de Lula.

    A máxima popular diz que “não se chuta cachorro morto”.

    É flagrante o crescimento nacional do Partido Progressista, e atualmente ocupa a segunda posição, ficando atrás tão-somente do Partido dos Trabalhadores. Os números de vereadores, prefeitos, dep. estaduais são expressivos, sem falar na forte bancada federal de apoio ao Planalto composta de nada menos que 42 parlamentares.

    As questões emblemáticas comum a toda sigla do tamanho dos progressistas são facilmente dissolvidas com resultados surpreendentes por sua robustez, clareza e respeito entre seus pares, o que lhes possibilita por em prática projetos efetivamente inovadores, ainda que enfocados por outros grupos partidários, mas que por despreparo no tratar da coisa pública não passaram do discurso.

    Dentro desse arcabouço sólido de implementação de políticas publicas o Partido Progressista da Bahia tem o desprendimento para estabelecer um dialogo franco com sua militância e apresentar o Governador Jaques Wagner como único administrador capaz de dar seguimento a construção de uma Bahia moderna e de uma sociedade baseada na dignidade humana, e que seja justa, livre, democrática, pluralista, solidária e participativa, fundamentando a sua ação programática nos valores, princípios e crenças políticas comum aos baianos.

    Certamente esse desprendimento do Partido Progressista, capitaneado pelo dep. Mário Negromonte, assusta alguns grupos, tanto que se articulam tentando denegrir sua imagem perante o eleitorado e a opinião pública de um modo geral, pois guiados pela miopia política entendem que a pretensão da agremiação é indicar um vice para o galego, mal sabendo eles que na hora certa, no momento adequado e com muita tranqüilidade e sabedoria nosso Governador saberá escolher o nome que realmente agregará valores ao seu projeto futuro de governo.

    Antonel Oliveira

  2. O, Partido Progressista, está unido e coeso, para responder as críticas do Deputado Paulo Rangel PT, feitas a Bahiapesaca, que tem como Presidente Isaac Albagli.A Bahiapesaca, hoje é dirigida pelo competente agronomo Isaac Albagli, pessoa de confiança e admiração do Governador JW.A Bahiapesca tem sido um exemplo de administração, solidária e participativa em prol da construção de uma Bahia mais justa.

    Melck Rabelo

  3. Contra fatos não existem argumentos. Basta ver os resultados nos últimos meses do trabalho feito pela Bahia Pesca: dois terminais pesqueiros no forno, pronto para sair do papel. Subvenção do óleo díesel para pescadores. Aceleração e ampliação do propgrama de peixamento com o uso de tanques-rede. Disttribuição de alevinos em todo o interior do estado (sem favoritismo político-partidário). Enfim, mais do que emblemático. Trabalho, apenas isso. E isso incomoda que não estáacostumado com ações positivas.

  4. Em discurso na Assembléia Legislativa da Bahia, na noite desta terça-feira (6/9) a deputada Eliana Boaventura, rebateu as suspeitas levantadas pelo líder do PT, deputado Paulo Rangel, no dia 30 de setembro, sobre aparelhamento e compra superfaturada de ração na Bahia Pesca.

    Ao contrário da denúncia que não apresentou provas, o discurso da deputada Eliana Boaventura apresenta um relato minucioso sobre cada questão levantada e fez um balanço das ações da empresa, desde 22 de dezembro de 2008.

    Sobre a suspeita de compra superfaturada a deputada afirmou que: “A Bahia Pesca não tem nenhum contrato de aquisição de rações superfaturado. As aquisições estão absolutamente dentro da Lei de Licitações e qualquer análise, mesmo que superficial, verá a correção com que a coisa pública é tratada na empresa.”

    A deputada explicou que ao comparar os preços de ração em seu discurso, o deputado Rangel não levou em consideração os níveis de proteína, a qualidade superior da ração, que tem certificação do Ministério da Agricultura, o transporte e a entrega imediata garantida pela empresa fornecedora: “Tratou-se de ação emergencial, que teve como finalidade evitar a mortalidade de milhares de alevinos e reprodutores… o Parecer emitido pela Assessoria Jurídica do órgão, igualmente, não deixa dúvida quanto à legalidade dos atos, e por fim, o Parecer Técnico emitido pela Diretoria Técnica, assegurou a urgente necessidade e opinou pela contratação emergencial.”

    Sobre a denúncia de aparelhamento, Boaventura questionou: “Como aparelhamento, se o próprio deputado tem vários companheiros ocupando cargos de destaque na empresa?”, entre eles o próprio filho do deputado Rangel, que trabalha na Bahia Pesca. Boaventura afirmou ainda que “Num governo de coalizão, é natural que partidos indiquem pessoas para os cargos de confiança. Essa é uma regra que atinge a totalidade dos partidos políticos sem exceção.”

    Para o Presidente do PP na Bahia, deputado federal Mário Negromonte, a atitude do deputado Paulo Rangel não passa de “ciúmes político” mas tem que ser repudiada por ser altamente destrutiva e prejudicial a união da base do governo Wagner. Mário Negromonte, que é líder da banda do PP na Câmara dos Deputados, mesmo tendo recebido todas as informações comprovando que não há nem aparelhamento nem compra superfaturada de ração por parte da Bahia Pesca, encaminhou ofícios ao governador Jaques Wagner, ao Secretário de Agricultura, Roberto Muniz e ao Diretor Presidente da Bahia Pesca, Isaac Albagli, pedindo a apuração rigorosa das denúncias.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.