Tempo de leitura: < 1 minuto

As cercas de 50 demissões que a Câmara de Vereadores de Itabuna teve que realizar, para adaptar-se ao duodécimo encolhido, não chegaram a chamar a atenção dos funcionários que realmente dão expediente na casa. Foi, em verdade, como se nada tivesse acontecido.

A explicação mais provável é a de que os 50 defenestrados eram daquele time cuja “contrapartida” única para o salário era o “trabalho” de ir até o caixa eletrônico mais próximo entre os dias 20 e 25, quando saem os pagamentos no legislativo municipal.

De modo que a Câmara não ficou desfalcada.

Sem os fantasmas, pode-se dizer que ela está somente menos assombrada.

4 respostas

  1. Será que os 50 fantasmas eram pertencentes apenas aos gabinetes dos vereadores da situação, ou havia algns com o pessoal que tanto critica quem ora está no poder, …?!?!?!

    Nessas horas todo mundo fica quieto, …!!!

    Silêncio sepulcral, …!!!

  2. OS “ASPONES” ACESSORES DE PORR… NENHUMA, SÓ TINHA UMA FUNÇÃO, IR ATÉ O BANCO SACAR O POLPUDO SALÁRIO, TIRAVA O SEU MINIMO E O RESTO, BEM O RESTO ALGUEM DO ALEM EMBOLSAVA.

  3. Nós temos o direito de saber quem acobertou os fantasmas até hoje????
    São os que mais fazem blá ,blá os donos da maioria das almas que só aparecem nos caixas eletrõnicos…

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.