Tempo de leitura: < 1 minuto

O local preferido dos itabunenses para fazer caminhadas – às margens do Rio Cachoeira, no centro da cidade – transformou-se em um terreno dos mais insalubres e perigosos. Há pouco, um sujeito “desestressava” por ali, quando, no trecho da avenida Firmino Alves, foi atingido por um estranho líquido na cabeça.

A princípio, a vítima pensou que fosse um pingo de chuva, mas logo percebeu que a substância era um tanto viscosa. Passou a mão, cheirou e não restou dúvida. Era simplesmente cocô de uma das centenas de garças que se aboletavam nas árvores que lhes servem de dormitório (e, ao mesmo tempo, de sanitário).

Se quem anda à margem do Cachoeira já precisa tapar o nariz (o odor do rio está insuportável), agora deve também cuidar do que vem de cima. Recomenda-se uso de guarda-chuva.

12 respostas

  1. Houve uma situação interessante na Ilha do Jegue.

    Lá as garças, brancas, tomavam conta do pedaço, faziam de lá dormitório e, também, sanitário. De uns tempos para cá, apareceram outras aves aquáticas, menores e com penas escuras.

    Como a espécie de penas escuras – que eu não sei bem de qual se trata – parece ser mais agressiva, territorial, terminou espantando as garças para outros locais, dentre os quais, as árvores às margens do rio.

    Quanto ao bambu, plantado na Ilha, que serve de “residência” para as referidas aves, está totalmente “queimado”, provavelmentde devido ao excesso de aporte de matéria orgânica (nitrogênio), resultado do “guano” das aves, …!!!

    Parece até a história do Salitre do Chile, …!!!

  2. Mas elas só estão procurando um lugar pra se abuletar, já que os locais em que elas viviam quase todos são fazendas de monoculturas atualmente.

  3. O cidadão alvejado deveria dar graças a Deus. Foi um milagre
    que a pobre ave em vôo o acertasse!!!!

    Quanto às aves pretas que substituíram as garças na ex-ilha do jegue são patos selvagens ou d’água que se servem abundantemente de peixes que não sobrevivem à baixa oxigenação da água do que um dia foi o Rio Cachoeira, o rio da minha vida.

  4. Quanto ao odor do rio Cachoeira, é resultado do esgoto que é despejado diretamente despejado em seu leito. Sugiro ao Pimenta que investigue e coloque em xeque a cobrança da taxa de esgoto na conta de água. Se o esgoto é jogado diretamente no rio, porque a cobrança dessa quantia? (em torno de 40% do valor da conta). Certamente esse dinheiro não está sendo empregado no tratamento de esgoto.

  5. Sem contar perto da quadra …………..ali fica gente fumando maconha principalmente no domingo a tarde se reuni muitos jovens por ali atraz da arquibancada da quadra ficam se drogando .

  6. COITADAS DAS GARÇAS!!!!! Gente, pelo amor de Deus, as garças estão soltas na natureza. tem que fazer uso dela para sua necessidades… ou vão querer colocar banheiro público para as garças? Não tem nem para os sereshumanos que dirá para pássaros!! Dêem graças a Deus pelas garças, pelas aves, pior são os pedestres que fazem xixi ali pra todo mundo ver, os que fumam maconha, os que roubam, os obscenos que qdo vcs passam ficam falando obscenidades, o rio morrendo, a avenida suja ISSO SIM É PROBLEMA!!

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.