Tempo de leitura: < 1 minuto

O motorista Aurino Lima de Jesus, 67 anos, funcionário do Derba (Departamento de Infraestrutura de Tranportes da Bahia), envolveu-se em acidente na noite deste sábado, 05, na BA-263, entre as cidades de Iguaí e Ibicuí.

Segundo informações do Blog do Anderson, o motorista – que estava embriagado – atropelou e acabou levando à morte o motociclista Natanael Menezes dos Santos, 47. A Polícia Rodoviária informou que Aurino dormiu ao volante, perdendo o controle da caminhonete Ford F-1000 que dirigia.

O motorista prestou depoimento na delegacia de Itapetinga e em seguida foi liberado.

Tempo de leitura: < 1 minuto
Populares se aglomeraram à frente da residência do casal (Radar Notícias).

Um casal de comerciantes foi brutalmente assassinado na madrugada deste domingo (6), na rua Bahia, Califórnia, em Itabuna.  Marinece Batista Silva, 46, e Osmário Santos, 48, foram mortos a golpes de faca e de colher de pedreiro, conforme a perícia.

Marinece levou seis golpes e o esposo, Osmário, 15. Os golpes foram desferidos na boca, cabeça, braços e costas do casal. A quantidade de golpes deixa claro que os assassinos conheciam as vítimas.

“Gago” mantinha um açougue entre os bairros de Fátima e Califórnia e não tinha o costume de depositar o dinheiro, conforme testemunhas. De acordo com o Radar Notícias, o casal teria sido vítima de um assalto há poucos dias, quando foram roubados R$ 6 mil.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Blog da Veja:

O governo da Bahia aproveita o Carnaval de Salvador, que reúne mais de 1,5 milhão de pessoas, para popularizar a campanha que pretende levar ao estado a abertura da Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil.

Além de conversar com patrocinadores da festa e pedir a artistas baianos, como Daniela Mercury e Ivete Sangalo, que engrossem o coro publicamente, o governador do estado, Jaques Wagner (PT), encomendou um vídeo institucional, que está sendo gravado no meio da folia, para ser apresentado à Fifa.

“Tenho dito que é ruim concentrar os dois grandes momentos do evento – abertura e final – só no Sudeste. Um pode ser lá, mas o outro deve ser no Nordeste, especificamente na Bahia, que é a maior fonte de turismo da região”, afirmou Wagner. O encerramento do evento será realizado no estádio do Maracanã. Já a abertura tem como favorita a cidade de São Paulo.

Tempo de leitura: < 1 minuto

Um leitor do PIMENTA, inspirado pelo anunciado enlace político entre o vereador Wenceslau Júnior (PCdoB) e o ex-secretário da Administração de Itabuna, Gilson Nascimento, envia-nos montagem, com sugestão de que a relação seja oficializada em grande estilo, com o matrimônio celebrado na capital do tango.

Em Buenos Aires, o “malvado” leitor vê cenário perfeito para o casamento. Ao som de Carlos Gardel.

Tempo de leitura: 2 minutos
Didi pediu pra sair

Uma das mais intensas brigas políticas recentes em Itabuna se deu em torno da primeira-secretaria da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores. O cargo foi durante várias gestões comandado pelo vereador Roberto de Souza (PR), que perdeu a cadeira com a ascensão de Ruy Machado (PRP) à presidência.

Fala-se que antes houve um acordo para Roberto continuar na primeira-secretaria, mas na hora de registrar a chapa na Secretaria Parlamentar, o nome do vereador do PR não constava. Deu confusão, bate-boca, briga na justiça.

Pois agora, de repente, o vereador Didi do INSS (PDT), atual primeiro-secretário, decidiu abrir mão do cobiçado cargo, que tem a atribuição de administrar o funcionamento da casa, celebrar contratos, assinar pagamentos. Ou seja, trabalha com aquilo que os políticos muito apreciam: dinheiro.

Para a plateia, o discurso é de que a primeira-secretaria exige dedicação em tempo integral e Didi não possui tanta disponibilidade. Ele diz que este será seu último mandato e quer levá-lo em ritmo suave e pouco trabalhoso. Uma sessãozinha às quartas e olhe lá.

Nos bastidores da Câmara, porém, a versão é de que Didi acha que Ruy Machado concentra poderes e controlou com mão de ferro a nomeação dos cargos da Mesa. O primeiro-secretário sentiu-se sem “margem de manobra” e não topou ir pra briga, preferindo pedir o boné.

Informação colhida pelo PIMENTA dá conta de que o vereador Claudevane Leite (PT) é o mais cotado para substituir Didi no cargo de primeiro-secretário.

Tempo de leitura: < 1 minuto

O deputado Daniel Almeida (PCdoB) é um dos tantos brasileiros incomodados com o fato de o Carnaval ser comemorado em datas diferentes a cada ano. Em uma tentativa de acabar com o problema, o baiano apresentou um projeto de lei que fixa o feriado na última terça-feira de fevereiro.

O parlamentar alega que a festa precisa “ser melhor organizada e planejada”. “Eu tive uma boa receptividade por parte de entidades de turismo e entretenimento. Eles alegam que quando o carnaval cai no início de fevereiro prejudica a atividade. Quando cai no início de março, também. Isso tudo provoca um desarranjo cultural e econômico”, defendeu.

O Carnaval é uma data celebrada em todo o mundo e o dia depende de outro feriado, a Páscoa. O cálculo é o seguinte: a terça-feira de Carnaval precisa acontecer 46 dias antes do domingo de Páscoa, que ocorre sempre no domingo seguinte à primeira lua cheia após o equinócio de março, que cai no dia 21.

A proposta de Almeida foi rejeitada pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara em 2008, época em que foi apresentado. Os deputados entenderam que o festejo está associado à Páscoa e não pode ser alterado. Informações do site R7.

Tempo de leitura: 2 minutos

Do Estadão

Mais de 400 mil compraram o primeiro carro em 2011.

Cerca de 400 mil consumidores brasileiros compraram o primeiro carro zero no ano passado, número equivalente ao total de veículos vendidos no Chile, Colômbia e Venezuela, juntos.

Os “entrantes” no cobiçado mercado automobilístico, na avaliação de analistas, pertencem principalmente à chamada nova classe C, constituída por pessoas que melhoraram a renda salarial.

Elas são responsáveis, em grande parte, pela continuidade do crescimento das vendas de automóveis, mesmo com a tentativa do governo de frear o consumo.

Embora sejam dados parciais de 2010, obtidos em pesquisa feita em conjunto pelas montadoras, analistas acreditam que continuarão a ser replicados neste ano. Janeiro e fevereiro bateram recorde para esses meses, com 144 mil e 274 mil unidades vendidas, respectivamente.

O mercado conta ainda com o reforço dos consumidores veteranos que estão trocando mais cedo de carro – e por modelos mais caros. No ano passado, 32,1% dos automóveis comerciais leves vendidos no País custavam de R$ 30 mil a R$ 40 mil.

Em 2009, essa faixa respondia por 24,5% das vendas. Já os modelos mais baratos, até R$ 30 mil, eram 37,3% do mercado, fatia que caiu para 25,3%. No alto da pirâmide, a fatia das vendas de carros entre R$ 90 mil e R$ 100 mil saltou de 1,3% para 5,2%.

Stephan Keese, da consultoria Roland Berger, vê duas tendências paralelas no mercado brasileiro: o crescimento do número de pessoas que compram o primeiro carro zero, principalmente na classe C, e o aumento do valor médio gasto na compra, em especial entre as classes A e B. Em 2006, a média era de R$ 29 mil. Hoje está em R$ 40 mil.

Confira ofertas de veículos no CLASSIPIMENTA

Tempo de leitura: 1 minuto

Corpo de Bombeiros, Samu 192 e Polícia Rodoviária Estadual foram acionados neste início de madrugada para atendimento à vítima de um acidente grave ocorrido no quilômetro 35 da BR-415, trecho próximo à Nestlé, em Itabuna.

Uma picape VW Saveiro (IAE-8914) que transportava carne clandestina colidiu contra uma moto Honda CG 125 (NTD-8199). O motociclista, identificado como George Ferreira e Silva, foi conduzido para o Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem) em estado grave.

George sofreu afundamento no crânio e fraturas expostas nos braços e pernas, além de perda de massa encefálica, de acordo com informações das equipes que o socorreram. O motorista da picape Saveiro caminhão teria saído ileso.

O repórter Costa Filho, do Programa Tribuna Livre, da rádio Jornal, apurou que a Saveiro seguia para Itabuna com carga equivalente a 3 garrotes. O produto não tinha guia de trânsito. Pelas marcas de frenagem, o acidente foi causado pela picape, conforme a polícia.

O motorista do utilitário, Joadson dos Santos Souza, 23, fugiu do local da colisão sem prestar socorro à vítima. Mais tarde, um senhor não identificado se apresentou momentos depois como “pai” do jovem.

Vítima do acidente, George reside na rua João Pessoa, 403, em Ibicaraí, trabalha como mototáxi e estava retornando de Itacaré, onde deixou uma passageira.  Os dois veículos foram levados para o Complexo Policial de Itabuna.

MOVIMENTO INTENSO

As principais estradas que cortam Itabuna e Ilhéus apresentam movimento intenso desde ontem. Na BR-415 e nas BA 001, foram registrados quatro acidentes entre ontem e o início da manhã de hoje. O caso mais grave foi o da colisão entre a Saveiro e uma moto.

Ontem, houve ainda um capotamento no trecho Ilhéus-Una da BA-001. O motorista sofreu leves escoriações. Já na BR-101, a polícia rodoviária federal registrou cinco acidentes sem vítimas.

Atualizado às 7h58min

Tempo de leitura: 6 minutos

A LINGUAGEM E A TRIANGULAÇÃO AMOROSA

Ousarme Citoaian
Num jornal de Itabuna leio esta intrigante manchete: “Por dinheiro, se juntou ao amante para matar o outro” – e fico com a sensação de que o leitor não vai, de primeira, entender o que se lhe quiseram transmitir. E isto não é bom, pois manchetes precisam ir direto ao leitor, por linhas retas, contornando parábolas e elipses. Releio. E concluo que uma mulher se consorciou com um sujeito, para matar outro. É a velha (e, não raro, fatal) triangulação amorosa, que está em moda desde o dia em que Deus inventou homem e mulher e o capeta os misturou. Mas, no caso, houve uma segunda vítima: a boa linguagem.

QUEM NÃO EXISTE, NÃO PENSA E NÃO MORRE

Os artigos precisam ser respeitados pelos redatores: o amante é uma coisa; um amante é coisa diversa. Se escrevo “João é o amante de Maria”, quero dizer que Maria tem, digamos, um caso com João; se escrevo “João é um amante de Maria”, digo que Maria é danadinha, roda muito, anda com mais de um felizardo. E agora? Quanto à manchete referida estamos diante da impossibilidade absoluta: a boa moça “se juntou ao amante”, portanto, só tinha um; logo, “o outro” não existe – e se não existe não pensa (como explicou o filósofo) e, em compensação, não morre (como o sabem até os postes). Conclusão: não houve crime.

PREMISSA FALSA LEVA A CONCLUSÃO FALSA

Conclusão falsa, porque parte de premissa falsa. A gentil senhorita não se associou “ao amante”, mas “a um amante”. Dentre os dois (revelados!), ela se juntou a um, para assassinar o outro. Houve homicídio, sim, e – nos diz o jornal – com minúcias que interessariam aos estudantes de medicina legal e causariam frouxos de riso nos cultores do humor negro. Está no texto: “Para praticar o crime, o casal utilizou enxada, faca, porrete, cacos de garrafa e uma pedra”. Se o casal de assassinos não era competente, ou se a vítima estava mesmo decidida a permanecer neste vale de lágrimas, resta a dúvida.

ONDE TERIAM FICADO AS LETRAS E OS SONS?

Não nasceu ultimamente nenhum Machado de Assis, ninguém toca como Miles Davis ou canta rouco feito Armstrong (foto). Onde o verso de Bandeira e Drummond, o som do Zé-Pereira, a serenata de Orestes Barbosa, o violão de Baden, a crônica de Rubem Braga e Fernando Sabino? Cadê Antônio Maria e Noel, espargindo dor de amor nas estrofes?  Há quem afirme que os grandes livros já foram escritos, os filmes feitos e a música, gravada. Disso não sei. Mas sei bem da aridez dos tempos, tempos de descartáveis autores e obras natimortas. E sei também que o tempo, juiz exigente, me disse que a arte destituída do eterno sopro da juventude será espectro de arte, não arte.

POBRE VIDINHA DE GOLPES E ESPERTEZAS

A arte verdadeira tem um estoque infindável de emoção, alguma coisa que faz chorar – como diria Vinícius. A arte arrepia. Assim é Malagueta, Perus e Bacanaço, obra-prima do conto brasileiro, de João Antônio, que releio – o drama e a solidão de pequenos perdedores, anti-herois esmagados pela cidade grande. São três malandros, andarilhos, comparsas em suas vidinhas de golpes, espertezas e dissimulações, num tour noturno que começa na Lapa, passa pela Barra Funda e termina em Pinheiros, depois de passar por Água Branca e o centro. Exímios jogadores de sinuca, vão à cata dos mocorongos, trouxas, pixotes, enfim, otários para depenar. Piranhas famintas, boca aberta na noite. Perdidos.

TESES APROXIMAM JOÃO ANTÔNIO E JOYCE

Os malandros chegaram à tela em O jogo da vida/1977, de Maurice Capovilla (foto), com Lima Duarte (Malagueta), Gianfresco Guarnieri (Perus) e o gualberiano Maurício do Valle (Bacanaço) – além da participação de Carne Frita, o mestre maior da sinuca. As teses, estudos, análises e ensaios sobre esta obra de João Antônio encheriam uma livraria. Há até (pelo menos) um estudo de literatura comparada que aproxima Malagueta…/1963 de Dois Galantes/1914: João Antônio é James Joyce e São Paulo é Dublin, espaços de desgosto e sofrimento. O caminhar perene desses vagabundos (como se andassem à volta de si mesmos) parece nos dizer que, lá e cá, a grande cidade não costuma dar lugar aos deserdados sociais.

O AUTOR CONVERSA COM SEUS PERSONAGENS

O encontro de criador e criaturas: no sentido anti-horário, João Antônio (segurando uma bola de sinuca) e os malandros Malagueta/Lima Duarte, Perus/Gianfrancesco Guarnieri e Bacanaço/Maurício do Valle.

NO MEIO DA FICÇÃO SURGE UM ÍDOLO REAL

João Antônio faz sua sinuca de ficção encontrar na madrugada paulista um ídolo do jogo jogado, “moço, baixinho, com olhos de menino”, sobre quem derrama seu afeto: “Ninguém daria nada àquele, parado à esquina da Santa Ifigênia, dando um gesto de mão a Malagueta, Perus e Bacanaço. Fossem ver… Sua história abobalhava, seu jogo desnorteou todos os mestres”. E aconselha: “Botassem respeito, sentido e distância, com silêncio e consideração”. É a homenagem do autor a Carne Frita, lenda viva da sinuca (na foto, à direita, junto a Noel; à esquerda, o itabunense Rui Chapéu). Este texto é minha homenagem a Vadu Baié e Vivi Guimarães, piranhas do pano verde, e ao professor Adylson Machado, que conhece como poucos a sociologia do joguinho.

COMENTE »

CONTRIBUIÇÃO DE ZÉLIA À OBRA DE JORGE

A escritora Zélia Gattai (1916-2008), segunda mulher de Jorge Amado, era uma senhora muito bem humorada e consciente de que vivia com uma celebridade. Modesta, não procurou abrir caminho à sombra do marido famoso e tampouco extrapolou seu papel. Numa entrevista (já nem me lembro quando e em que veículo), perguntaram-lhe sobre a contribuição que ela teria dado à obra de Jorge – uma pergunta tentadora para quem pretende mostrar-se mais importante do que é na verdade. A autora de Chão de meninos contou a história que reproduzimos aqui, sujeita a pequenas falhas de memória .

O ESTRANHO PEDIDO PARA SOLTAR A VOZ

Certa vez, batucando em sua velha Remington, Jorge a chamou e lhe pediu que cantasse Só louco, de Caymmi, então em voga. “Agora?”, perguntou Zélia, vendo em risco a sanidade do marido. “Agora”, confirmou ele, aflito. “Pedido mais estranho”, pensou a boa Zélia, mas não se fez de rogada e soltou a voz: “Só louco amou como eu amei/ só louco quis o bem que eu quis/ Oh, insensato coração…” “Chega”, disse Jorge (foto). E explicou à mulher atônita que se esquecera de uma palavra, mas sabia que ela estava na letra de Caymmi. “Minha contribuição à obra de Jorge é a palavra insensato”, brincou Zélia.

MARISA MONTE, GAL, BETH CARVALHO, JOÃO

Quando vi na tevê uma chamada de Insensato coração, imaginei que Só louco/1956 estaria na trilha. Fui ao Google e… na mosca! Também soube que essa música embala o folhetim das nove pela segunda vez. A primeira foi em O casarão/1976. E sabem o que mais? Gostei. A Globo volta e meia dá folga a Roberto Carlos, Zezé de Camargo, Xitãozinho e outros chororões e se permite nos oferecer surpresas: Marisa Monte (O Salvador da Pátria/1989), Beth Carvalho (Duas Vidas/1977) e o luxuoso grupo (aqui comentado há dias): João-Astrud Gilberto-Tom Jobim-Stan Getz  (Laços de família/2000). Nem tudo são ruídos. No vídeo, Gal e Caymmi, com o tema famoso.

(O.C.)

Tempo de leitura: < 1 minuto

Itacaré, um dos destinos mais procurados pelos turistas no sul da Bahia, está entregue à folia. A festa começou na noite deste sábado e só termina na madrugada da quarta-feira de cinzas. Ao todo, serão 19 atrações se apresentando na Praça São Miguel e Avenida Castro Alves. Uma das principais atrações de hoje foi a banda de reggae Adão Negro.

Neste domingo, a folia fica por conta das bandas Xaranga Elétrica, Vera Cruz, Caldeirão, Oz Polêmicos e Mente Livre. Blocos alternativos, como o Bruta Raça, também marcam presença no carnaval de Itacaré.

Tempo de leitura: < 1 minuto

A folia ilheense começou neste sábado, com vários blocos e atrações como a cantora Viviane Trípode e a banda Circuito Fechado. No domingo, segundo dia da festa, a programação começa às 13 horas, com o desfile dos blocos. Quem abre é o Chap Chap, seguido pelos blocos Vonga Pescados, Advai Folia, Fiscalização, Carne de Bode, Peixe Galo e 20Comer.

Entre as bandas, os destaques do domingo de Carnaval serão Gang Cidade, Lordão e Sambágua.

O carnaval de Ilhéus vai até o dia 8, na Avenida Soares Lopes. A festa começa sempre às 13 horas.