Tempo de leitura: 2 minutos

Do Jornal Bahia Online

Prédio abriga biblioteca e arquivo público (Foto JBO).

Um laudo técnico assinado pelo engenheiro civil Hermano Fahning, diretor de operações da secretaria municipal de Planejamento, determinou a imediata suspensão das atividades na Biblioteca Pública de Ilhéus, que apresenta sérios problemas em sua estrutura e pode vir a desabar. O histórico prédio, localizado na praça Castro Alves, avenida Soares Lopes, vinha há anos sofrendo com problemas de infiltração e rachaduras nas paredes.

A biblioteca funciona no local há 10 anos e de lá pra cá nunca houve nenhuma manutenção da estrutura física do espaço, que foi se deteriorando até chegar ao limite da sua insegurança. “O espaço está condenado ao uso público por conta da sua situação estrutural. Se mantivéssemos funcionando, estaríamos colocando a integridade física das pessoas em perigo”, confirmou o engenheiro ao repórter do JBO no início da noite desta sexta-feira. Em resumo: o prédio pode cair.

Sem muitas justificativas ao público que frequenta o espaço, a biblioteca já foi fechada pela secretária municipal de Educação, Lidiney Campos. Mas apesar da orientação passada pelo engenheiro Hermano Fahning de que todos evacuassem o prédio, a reportagem do Jornal Bahia Online flagrou na tarde desta sexta que o funcionamento do Arquivo Público – instalado em uma das áreas mais afetadas do imóvel – continuava normalmente. Informado sobre o perigo, o engenheiro Hermano Fahning disse que já orientou a secretária Lidiney Campos a retirar todos os servidores do local.

Leia mais

0 resposta

  1. Está ai o retrato da administração de Nilton.Aquele que não remunera seus professores e nem respeita os alunos, não merece consideração e se ilheense for, deveria ser banido dessa terra por ser um filho indigno.
    O General Osório, colégio tradicional de nossa Cidade, quando pertencia ao Estado, era tratado com zelo por seus diretores e governadores e depois que foi entregue ao municipio foi destruido, como tantos colegíos da cidade.E o pior é que a Prefeitura tem o displante de desejar se apossar de outros colégios bem estruturados mantidos por grupos assistencialistas.

  2. Isso é a culpa de um prefeito incompetente, o inútil gestor de Ilhéus, Nilton, que é cercado de incompetentes. Triste minha amada Ilhéus, que teve o Malderico e agora tem o incompeNilton.

  3. O descaso com o patrimônio histórico é sintomático de um governo que não se preocupa com sua história e sua cultura. Vai além, que não consegue elaborar uma política pública de preservação dos seus bens culturais e, assim, impõe ainda mais dificuldade para que o turismo se consolide como meio de geração de renda. Pelo lado dos historiadores, esperamos que a interdição do prédio não signifique o fim do Arquivo Publico Municipal de Ilhéus, o que acrescentaria um tom ainda mais trágico para uma história narrada em prosa e verso. Atualmente, o Arquivo Público João Mangabeira conta com um valioso acervo documental que é utilizado por pesquisadores e professores da região na produção de conhecimento.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.