Tempo de leitura: < 1 minuto

O governo baiano irá novamente propor a terceirização da gestão do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem), em encontro marcado para as 14 horas desta terça (19), na FTC/Itabuna. Andrés Alonso, da Sesab, discutirá a proposta com servidores, sindicalistas e representantes de municípios atendidos pelo hospital.
Servidores e funcionários da área de saúde rejeitam a proposta. Há promessa de paralisação dos funcionários por três horas, amanhã (19), a partir das 6h30min. A terceirização do Hblem foi a única proposta que “adoçou” a boca do prefeito Capitão Azevedo desde o início das negociações entre município e estado. A primeira proposta nesse sentido foi apresentada em outubro do ano passado.

0 resposta

  1. “Servidores e funcionários da área de saúde rejeitam a proposta”! Mas é claro que tem sentido a rejeição: vão perder as boquinhas! Digo: AS BOCONAS! Quase todo o dinheiro para pagar os empregados dos vereadores da “da base” (NÃO DO BASE, mas, “da base”)!

  2. Se terceirezar, serão demitidos os cargos apadrinhados? Serão estancados os roubos? a prefeitura irá “contribuir” com as despesas? Sendo assim, qualquer administrador “pé de chinelo” fará funcionar o HBLEM.

  3. Não importa se é estadualização ou terceirização, o que importa é que a população carente tenha uma atendimento descente, se internado seja para melhorar o seu quadro clínico e não para contribuir para sua morte.
    É preciso sim, o Estado tomar uma providência séria com HBLEM,o medo dos servidores e funcionários é o desemprego porque o hospital está lotado de apadrinhados políticos, que ficam pelos corredores esperando a hora passar.É um absurdo!!!!

  4. Quem quer deixar de ser funcionário público para ser funcionário privado?
    Acabar com a mamata? Jamais !
    Não querem estadualizar o hospital, querem estadualizar a mamata!

  5. SOU SERVIDOR CONCURSADO DO HBLEM,NÃO ACEITO TERCEIRIZAÇÃO É UM RETROCESSO,É PRECISO QUE O SINDICATO ESTEJA FIRME JUNTO COM OS FUNCIONÁRIOS E SÓ ACEITE A ESTADUALIZAÇÃO,SOU SINDICALIZADO E VOU EXIGIR ISSO DO SINDICATO,JÁ SOFREMOS DEMAIS,NÃO TEMOS CULPA SE O HOSPITAL VIROU CABIDE DE EMPREGO E NÃO CUMPRE COMPROMISSOS,NÃO PODEMOS PAGAR PELOS DESMANDOS,SE PRECISO VAMOS PARAR,QUEREMOS ESTADUALIZAÇÃO JÁ.

  6. Esta politica de terceirizacoa nao e a mesma que PT criticava quando nao era governo? Mudou o governo ou mudou o modelo de terceirizacao onde talvez o grande beneficiario seja o secretario Jorge Solla e sua turma. Se tem dinheiro para terceirizar, que sera muito mais do que estado coloca hoje, porque nao resolver a situacao aumentando as transferecias.A gestao do regional de Ilheus nao deve ser exemplo para ninguem, o hospital falta tudo, medicos especilistas(ortopedistas,anestesistas,cirurgioes,etc) fora a imundice que reina no hospital, quem duvidar de uma incerta no regional que vera se estou com razao.

  7. A muito tempo eu venho dizendo aqui que o estado NUNCA QUIZ ESTADUALIZAR O HBLEM, O QUE ELE QUER É TERCEIRIZAR. Colocar uma empresa p/ administrar, concerteza escoar, lavar dinheiro não é??????? e colocar o Base p/ servir de manobras e centro de campanha politica p/ o PT nas eleições municipais do ano que vem!!! o estado pensa q engana quem!!!
    só n sei o que é pior, ficar na mao do municipio, q é o dona da Fundação ou ir p/ o estado para q use o Base e o povo para as suas manobras?
    Gente, seria ótimo p/ os concursados se o estado ESTADUALIZASSE A FUNDAÇAO, SERIA ÓTIMO! O ESTADO TERIA O APOIO DE TODOS, TENHO CERTEZA! MAS INFELIZMENTE NÃO É ISSO!!!! NAO É.

  8. Tercerizar pra que? as despesas com adm da terceirizada sobem mais de 250.000,00 mil reais, a presidencia continua sendo indicação do Prefeito o gestor idem os assessores da mesma forma. isso esta cheirando maracutaia.A ultima tercerizada leva mais de 100.000,00. e hblem ainda bancava a conta.

  9. (Não me escondo em pseudônimos)
    Não importa se será terceirizado ou estadualizado. O fato é que o povo não pode sofrer por falta de atendimento. Se a verba da saúde fosse realmente aplicada da forma correta, não haveriam tantas dores de cabeça, tanto desmando, tanto aborrecimento e tanto descrédito. Tomara que se chegue a um acordo, seja ele qual for, mas que principalmente os usuários não sejam mais tão prejudicados.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.