Tempo de leitura: < 1 minuto

Secretário Robinson Almeida, presidente do Conselho, e o governador Jaques Wagner (Foto Manu Dias).

A Tarde
O governador Jaques Wagner deu posse na terça, 10, aos 27 membro do Conselho de Comunicação da Bahia (CCS), em solenidade no auditório do Ministério Público Estadual. Primeiro colegiado do tipo instalado no Brasil, ele será deliberativo e terá como  principal objetivo a elaboração de políticas públicas para a área, com a construção de um Plano Estadual de Comunicação.
A proposta de criação do órgão data de 2008, quando foi realizada a Conferência Estadual de Comunicação em que entidades da sociedade civil reivindicaram a criação do colegiado. A formalização, contudo, só aconteceu em maio de 2011, com a aprovação da Lei nº 12.212,  que mudou a estrutura organizacional do governo.
Presidente do conselho, o secretário estadual de Comunicação Robinson Almeida enfatizou que a criação do órgão  cumpre o Artigo 277 da Constituição do Estado da Bahia, que afirma que cabe ao conselho formular a política de comunicação social do Estado. “É preciso enxergar o setor como um segmento que demanda políticas públicas, assim como acontece com a educação e a cultura”, destacou.
Na espinha dorsal do texto de regulamentação, destacam-se as funções de estimular a implantação de veículos  comunitários, de fomentar a produção de conteúdos que representem as diversidades artísticas, culturais, regionais e sociais, além do fomento à  inclusão digital.
Leia na íntegra

0 resposta

  1. Espero que comecem a mudar muita coisa. Por exemplo, desde o governo Sarney, quando ACM foi ministro das Comunicações, que foram distribuídas inúmeras concessões de TV em todo o Brasil, em especial o NE.
    As emissoras de TVs regionais, são afiliadas das ditas redes nacionais (imprensa sudestina) e, como estão nas mãos de políticos, as verbas publicitárias que os governos destinam, acabam indo em grande parte, para estas emissoras, já que os politicos são os donos.
    Com isto, as redes públicas vivem à mercê de verba e não conseguem alavancar. O resultado disto é que, as ditas programações nacionais(privadas e com seus interesses) penetram e, com isto, audiência, publicidade, trabalho tudo centrado onde estas emissoras sudestinas estão.
    Isto se aplica a novelas, futebol, programas de auditórios, jornalismos pautado, repetição de opinião formada a partir do que estas emissoras sudestinas falam. (Samuel Celestino é um típico papagaio desta forma de jornalismo).Acredito que à medida que esta realidade for sendo transformada e que o olhar de qualquer nordestino seja a partir de sua realidade para o mundo e não do mundo para a sua realidade, isto irá melhorar.
    O conselho é interessante e vejo sinais de mudanças iniciais, só não podem morrer na praia. Po exemplo, a TVE já está focando muito mais nos baianos e partindo para o nacional do que o contrário.
    A Rede Bahia, detentora da audiência, aliás, transmite imensamente a programação nacional e quando manda algo sobre notícias da Bahia, é sempre na tentativa de prejudicar alguém politicamente. ACMNeto é candidato a prefeito de Salvador, joga para a Globo nacional buracos nas ruas de SSA. A notícia não deixa de ser interessante, mas não podemos deixar de olhar, também, os interesses politicos por traz.
    E não para por aí, vou ser repetitiva, mas passa pelo esporte, também, pois a transmissão de algo que não é da região também faz os times locais viverem na pinimba e sempre terem desempenhos pífios no Brasileirão.
    A próxima tentativa de mostrar a depreciação ao povo, será a Rede Bahia mostrar aquilo que a emissora nacional quer, ou seja, o ataque aos movimentos sociais. A Rede Bahia tem seus interesses, aliás, todas elas têm, cabe ao povo ver quem mais prejudica à Bahia, a população quando os interesses desconsideram qualquer forma de escrúpulo.

  2. DEFENDO QUE AS TVs LOCAIS TENHAM PROGRAMAÇÕES GENUINAMENTE LOCAIS.QUE SE VALORIZE PROFISSIONAIS DA TERRA. EM ITABUNA A UNICA TV QUE PRATICA ISSO É A TVi DE BARBOSINHA, QUE TEM 6 HORAS DE PROGRAMAÇÃO LOCAL COM PROFISSIONAIS DA TERRA.

  3. Tratando-se do PT, é preciso ficar alerta!
    Eles já destruiram a oposição no Brasil (e, com isto, estão destruindo a própria democracia). Já tentaram nacionalmente subjugar a imprensa.
    Este “conselho” baiano é altamente suspeito…Querem censurar a imprensa regional???

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.