Tempo de leitura: < 1 minuto
Cervejinha vai ficar mais cara em outubro.

O brasileiro que curte uma lourinha gelada deve preparar o bolso. A Ambev, dona de marcas como Skol e Antarctica, prevê aumento médio de 4,5% no preço da cerveja e de até 9% para refrigerantes e outras bebidas não-alcoólicas.

A alta de impostos teria pressionado o setor, que recebeu autorização de aumento por parte do governo em maio último. Mas o bebedor inveterado pode ficar tranquilo: terá até o final de setembro para sorver a “loura” sem o reajuste previsto…

4 respostas

  1. Eu não gasto meu dinheiro com essas cervejas que mais parecem água com gáz, prefigo gastar com uma boa cerveja artesanal, que é verdadeiramente cerjeva, não esses cozidos de milho, arroz etc. Quem aprecia uma boa cerveja sabe do que estou falando.
    Quem já teve a aportunidade de beber em um PUB também sabe do que estou falando.

  2. oh dó!minha lourinha vai aumentar(skol)mais meu amor por ela nunca vai acabar,aonde ela vai eu vou atraz,kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  3. Para os “Beberrões” ela pode custar uma fortuna que não vai fazer diferença, os donos de bar que o digam!

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.