Tempo de leitura: 4 minutos

walmirWalmir Rosário | wallaw1111@gmail.com

O resultado é danoso para Ilhéus, que perde um grande investimento. Para a Bahia, nem tanto, pois a empresa poderá utiliza o Porto de Aratu, como sempre desejaram quase todos os interessados do contra.

Já não são tão cordiais as relações entre as altas cúpulas do Governo do Estado da Bahia e da Bahia Mineração (Bamin). O motivo é um só: a omissão do governo em relação ao cronograma de implantação do Projeto do Complexo Intermodal do Porto Sul.
Desde o ano passado que a Bamin vem revelando impaciência com o certo descaso do Governo do Estado em relação à entrega da área para que as obras do Porto Sul sejam iniciadas. Os prazos concedidos são vencidos e nenhuma – ou quase nenhuma – ação é feita.
De novo – apesar dos desmentidos do prefeito de Ilhéus – a Bamin promete “enfiar a viola no saco” e ir tocar em outra freguesia, apesar dos grandes investimentos feitos. E os recursos foram poucos, investidos em estudos, ações de comunicação pública e social.
Essa apreensão gerada com a possível saída da Bamin do Complexo Intermodal do Porto Sul, o que inviabilizaria o projeto, resultou numa reunião de emergência entre empresários, instituições e o Governo do Estado. Por certo, novas promessas serão feitas, embora sem a certeza do cumprimento.
Outro grande dispêndio da Bamin foi efetivado para capacitar a população do entorno do empreendimento, preparando-os para o exercício de novas atividades, o que representa uma evolução no cumprimento das compensações sociais.
Pelo que vi durante as campanhas eleitorais dos anos de 2010 e 2012, candidatos faziam questão – principalmente os do Partido dos Trabalhadores (PT) – de externar o seu apoio ao Porto Sul. Essas ações, geralmente, são uma recíproca pelo apoio recebido.
Mas é preciso fazer uma ressalva quanto ao apoio aos políticos, pois tudo deve ter sido feito dentro da lei, já que uma empresa desse porte não se daria ao luxo de desprezar a lei vigente. Ainda mais quando tem pela frente uma série de “inimigos” ao seu projeto.
Esses inimigos, diga-se de passagem, são de alto coturno e estão espalhados em diversas atividades econômicas, que vão desde os interesses na privatização dos portos até os “conservacionistas”, proprietários de muitas áreas no litoral norte de Ilhéus e sul de Itacaré.
São megaempresários que construíram suas mansões de luxo e não querem ser importunados com um porto por perto. Há, ainda, os que possuem grandes “áreas de engorda”, destinadas à implantação de condomínios superluxuosos, camuflados com um marketing pesado sob o paradigma da defesa da ecologia.
Entre os pós e os contras, dentro da própria estrutura dos governos do Estado da Bahia e Federal estão os “amigos e inimigos” do Porto Sul. É o PT contra o próprio PT; é o PCdoB contra o próprio PCdoB. Além de outros menos votados. Ou seja, esses partidos dão uma no cravo e outra na ferradura.
Como expectador de luxo, assisti a grande parte dessas ações empreendias para a concretização dos estudos de implantação do Complexo Intermodal do Porto Sul. Diante disso, posso assegurar a constante falta de um diálogo – por parte do Governo do Estado, o que é inerente aos petistas – com as comunidades envolvidas.
Essa temeridade era vista por parte das pessoas que compunham o Governo do Município de Ilhéus e pela própria Bamin (mas nunca dita em público) que, ao contrário, mantinha um diálogo constante com toda a comunidade, seja ela diretamente ou indiretamente envolvida no projeto.

Acompanhei de perto os estudos e as preocupações do então Chefe de Gabinete do Prefeito Newton Lima, José Nazal, que apresentou a todo o tempo e hora vasta documentação e estudos necessários. Isto demonstra que as partes envolvidas colaboraram, inclusive a população de Ilhéus, que se mobilizou a favor do projeto.
Neste caso, o único devedor é o Governo do Estado, que sempre claudicou em suas ações. E o resultado é danoso para Ilhéus, que perde um grande investimento. Para a Bahia, nem tanto, pois a empresa poderá utiliza o Porto de Aratu, como sempre desejaram quase todos os interessados do contra.
Mas a Bahia pode perder se a Bamin encontrar maiores facilidades para operar em outro porto, em outro estado da federação. Como uma empresa privada investe seu próprio recurso – e não o do contribuinte, no caso do Estado –, as situações são revistas, observando-se os benefícios que serão auferidos pela continuidade da empresa.
Mas o que o ilheense está sofrendo se expandirá para outros municípios vizinhos, que também perderão os investimentos previstos para a implantação de diversas plantas industriais ligadas à operação no (e do) Complexo Intermodal do Porto Sul. Os itabunense, inclusive, coloquem as “barbas de molho”, com a promessa dos recursos para a construção da Barragem do Rio Colônia.
Ao que tudo indica os R$ 60 milhões prometidos já minguaram para apenas R$ 17 milhões e, como sempre acontece, a estrutura de comunicação do Governo do Estado – por certo – massificará uma grande campanha publicitária para mostrar que estamos no melhor lugar do mundo. Ou seria no melhor dos mundos?

Não me esqueci da ponte que liga o centro ao bairro do Pontal, mas essa é outra história.

Walmir Rosário é jornalista, advogado e editor do www.ciadanoticia.com.br

16 respostas

  1. Senhor Walmir Rosário,
    Seu texto pode ser resumido numa única palavra: INCOMPETÊNCIA!
    A Bahia nunca foi tão maltratada.
    Os Petralhas merecem uma boa resposta nas urnas.

  2. Primeiro Ilhéus nem ganha nem perde com isto na verdade ganha mais do que perde afinal os recursos naturais continuarão intactos o meio ambiente agradece a mata atlântica se felicita com esta iniciativa de atraso do governo na verdade o que o governo tá é arrependido de de pegar uma região densa em recursos naturais é entregar ao capital privado desde quando o porto de aratu já ta pronto e o processo de ampliação é mais barato e menos danoso aos cofres público…

  3. Ou o Brasil (e a Bahia) se livra dos Petralhas (e anexos) ou eles acabam conosco.
    Até hoje não entendi como esse governo conseguiu se reeleger com 62% dos votos???

  4. SUDESTE MARAVILHA
    A GUERRA É SEMELHANTE QUANDO DA CHEGADA DA FORD PARA A BAHIA. ACM TRAVOU UMA GUERRA COMO ELE AFIRMOU:”LUTA TITÂNICA CONTRA INTERESSES DO SUDESTE CONTRA INTERESSES PATRONAIS E SINDICAIS”.
    O PT FOI RADICALMENTE CONTRA A VINDA DA FORD, POIS DARIA ORIGEM A DESCENTRALIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DO BERÇO DO PT/SÃO PAULO.
    O ATUAL GOVERNADOR DA BAHIA FOI CONTRA.
    O COMPLEXO PORTO SUL PASSA POR SITUAÇÃO SEMELHANTE, ENTRETANTO O GOVERNADOR DA BAHIA É AMIGO DO LULA e AMIGO DA DILMA e MESMO ASSIM NÃO CONSEGUE DESTRAVAR O PROJETO.
    COM CERTEZA INTERESSES DO SUDESTE/SUL E SEUS PREPOSTOS CONSEGUEM TRAVAR O COMPLEXO SUL QUE NEM MESMO A AMIZADE DO CARIOCA COM LULA e com a DILMA CONSEGUE ROMPER.
    DE FATO TODAS AS OBRAS ESTRUTURANTES NA BAHIA ESTÃO ATRASADAS OU PARADAS.
    ALÉM DE TER UMA PÉSSIMA EQUIPE NA ESFERA ADMINISTRATIVA O ATUAL GOVERNADOR DA BAHIA É LENTO DEMAIS EM REAGIR.
    O CARIOCA É SOLDADO DO PT E PARA DESTRAVAR AS OBRAS ESTRUTURANTES PARA A BAHIA e para o COMPLEXO PORTO SUL DEVERIA APONTAR QUEM NOS PREJUDICA E MUITO.
    ENTRETANTO O CARIOCA FAZ A OPÇÃO DO SILÊNCIO e como SOLDADO DO PT NADA CRITICA, NADA APONTA.
    MORO EM SALVADOR E O CARIOCA FOI O MAIOR ELEITOR DO ACM NETO, POIS EM SEIS LONGOS ANOS POUCO OU NADA REALIZOU DE OBRA ESTRUTUTANTE PARA A PRIMEIRA CAPITAL DO BRASIL.
    O SUL DA BAHIA TAMBÉM NESTES SEIS LONGOS ANOS POUCO OU NADA RECEBEU EM OBRA ESTRUTURANTE E AGORA NA PORTA DE 2014 SURGEM ALGUMAS OBRAS…RECUPERAÇÃO DA RODOVIA ILHÉUS a ITABUNA, PROMESSA DO AEROPORTO NO SITIO AEROPORTUÁRIO CEPLAC, NOVO HOSPITAL A SER CHAMADO DE COSTA DO CACAU(ENQUANTO SEQUER CONSEGUE ADMINISTRAR O REGIONAL DE ILHÉUS e o BASE DE ITABUNA)
    O COMPLEXO PORTO SUL DE FATO PASSA POR UMA GUERRA E SEU MAIOR INIMIGO É O SUDESTE MARAVILHA, ENTRETANTO O GOVERNADOR DA BAHIA É MUITO LENTO, CERCADO POR UMA PÉSSIMA EQUIPE E POR SER SOLDADO DO PT O GOVERNADOR DA BAHIA NUNCA VAI BATER DE FRENTE COM LULA e MUITO MENOS COM DILMA.

  5. Não é culpa do governador!!
    Quem acompanha esse imblóguio sabe que o governo da Bahia não tem culpa!!!
    Agora, vem demagogos falando que houve mobilização a favor apenas da população de Ilhéus e de ex gestores da administração municipal da cidade!!
    Todo o SUL da BAHIA manifestou-se a favor, mas GRUPOS patrocinados contra o projeto, acarretou na dificuldade do avanço para a implantação do Completo Intermodal do Porto Sul.
    Esse jornalista e advogado, que deve ter seus seguidores e admiradores, usa um blog para expor um “FALSO TESTEMUNHO”!!!!
    O maior interessado, além de toda a região, é o governo do Estado!!

  6. Antes que me chamem de defensor do governador, uma petição foi movida pelos grupos contra o projeto, que circularam por todas as redes sociais, sites, blogs. VEJA:
    “Vimos por meio desta pedir que as autoridades revejam o projeto intermodal do complexo porto sul em Ilhéus – BA – Brasil e que proibam definitivamente a sua construção, pois os impactos sociais, econômicos e ambientais serão uma catástrofe para a região. Que seja modificado o local de exportação deste minério de ferro para o porto de Aratu , em Salvador – BA, pois já existe uma ferrovia que passa a 100 km de distância da mina de Caetité – BA e que vai direto para este porto, causando um impacto mínimo para todo o processo. Esta ferrovia deveria ser adequada ao transporte do minério, o que seria um trabalho, um custo e uma destruição infinitamente menor do que o projeto original sugere. PORTO SUL NÃO !”
    Então, jornalista e advogado, não faça esse tipo de jogo oposicionista!!!!

  7. Até justificativa contra o projeto foi promovido pelos grupos:
    “Por que isto é importante
    Precisamos defender a mata atlantica, que já foi severamente devastada e que ainda abriga a maior biodiversidade do planeta. O impacto ambiental causado pelo andamento deste projeto absurdo em uma area importante de proteção ambiental será algo sem precedentes. Um projeto totalmente absurdo desde a sua concepção e que será motivo além de destruição do meio ambiente, de muitos problemas sociais e econômicos para a região toda. Pessoas que serão atraídas para a região em busca de emprego e que não conseguirão. Ou que ficarão desempregadas após as obras e ficarão ao relento. Crianças sem pais pelas ruas. Aumento de criminalidade. Falta de moradia e saúde pública. Devastação severa da fauna e flora. Modificação na linha da costa por 10 km , causada pela erosão e deposição de sedimentos. Atividade altamente poluidora , pois o porto servirá para estocar minério de ferro ao ar livre para depois exportá-lo por navios. Problemas de saúde ligados ao ferro em suspensão, que poderá ser levado pelos ventos a 30 km de distância. Alto impacto na atividade pesqueira e agricultura. Habitações sendo inundadas pela erosão das praias. Perda de interesse turístico na região. Aumento da prostituição infantil. E muito mais….”
    O governo do Estado desde o início foi pressionado, até mesmo pela rede Globo de Televisão, explicitamente contra!!!!!!!!!!!

  8. Walmir, meus parabens, nunca lí um texto tão verdadeiro e hosneto a respeito da implantação do Projeto do Complexo Intermodal do Porto Sul. Será que após a leitura deste seu artigo, alguém ainda vai ter dúvida sobre o esfacelamento deste projeto. Pelo menos eu não, mas há uma porção de outras pessoas acreditando veementemente na sua implantação, que, queira Deus dê certo.

  9. Sr. Walmir Rosário,
    Ainda bem que esse engodo que é esse Porto Sul não vai sair do papel! Um porto que ia destruir a nossa belissima região, para gerar 250 empregos diretos?? qualquer fabriqueta instalada no distrito industrial gera mais que essa quantidade de empregos!! apenas um projeto turístico que foi abandonado na região geraria muito mais que 250 empregos, e ainda com muito mais qualidade, pois o turismo gera empregos de mais qualidade que um porto.
    E ao final das obras, o que aconteceria com os 4000 operários que seriam empregados na construção?? ==> favelas, drogas, prostituição, criminalidade… Eu queria ver aqueles que apoiam esse porto absurdo sendo sequestrados e assaltados por algum desempregado ao final da construção. Sim, porque essas obras iam atrair milhares de trabalhadores de outras localidades e ao final das obras, metade fica pela região desempregado e ai acaba indo para a marginalidade, tráfico de drogas, criminalidade…

  10. É isso ai Francisco puro engodo afinal não somos contra o desenvolvimento somos contra é da forma em que querem implantar o empreendimento porto sul só servirá exclusivamente a BAMIM e mais ninguém eles farão o transporte de minério de ferro até o porto depois fara o descarregamento em navios por correias usando o minimo a mão de obra humana só os Ilheense que não ver desta forma pessoas mal informadas o governo na verdade só quer puxar o porto pra Ilhéus por vontade das empresas estrangeiras eles lucram muito com isso melhor um porto de uma certa forma privado é o que vai acontecer é a privatização do porto para a BAMIM outra culturas tendo que pagar a empresa para exportar seus produtos então não haverá geração de empregos a região sul não mudará suas características de região sofrida por que o governo não investe em pequenas e médias empresas por que não dará subsídios, para financiar suas campanhas fraudulentas…

  11. Pronto, como sempre a culpa de toda desgraça que acontece no Brasil é da REDE GROBO e no resto do mundo é DUSAMERICANO, a nossa malha rodoviária e ferroviária estão em estado de falencia total, tudo culpa da REDE GROBO, até janeiro de 2003, Lula esbravejava que a infra-estrutura do país era uma calamidade, que perdiamos muitos clientes para os concorrentes por causa dos altos impostos e falta de investimentos nos portos, aeroportos, rodovias e ferrovias, faz uma década que essa cambada tá no poder e sua única eficiência é no departamento das trambicágens ilimitadas.

  12. SABIA QUE O GOVERNO Lula PRATICAMENTE DEIXOU DE INVESTIR EM INFRA-ESTRUTURA?
    Os investimentos em infra-estrutura vêm sendo considerados insuficientes para as necessidades de crescimento do Brasil, segundo análises e cálculos do economista Raul Velloso, calculados com base dados do IBGE, as atuais taxas de investimentos diretos da União estão longe das registradas na década de 70. De acordo com Velloso, a taxa de investimentos da União chegou a 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB), sem considerar estatais, enquanto que em 1976, no governo Geisel, os investimentos da União eram 1,9% do PIB, também excluindo as estatais. Entre 2003 e 2009, a taxa de investimento da União oscilou entre 0,2% – uma das mais baixas desde 1970 – e 0,6%, estimativa para 2009. O economista José Roberto Afonso cita que o investimento público subiu nos últimos anos do Governo Lula, sobretudo em 2009/2010, com uma maior execução das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) devido a eleição de 2010, Afirma, porém, que a alta foi insuficiente para compensar a perda no setor privado e também em relação a décadas anteriores.
    —————————————————————————————————————-
    No ano eleitoral de 2010, o governo federal abriu as torneiras e gastou para investir em projetos – muitos deles, inclusive, que ajudaram a eleger a sucessora de Lula, Dilma Rousseff. A petista sabia que, em 2011, teria que pagar essa conta e cortar gastos. No entanto, a maneira como isso foi posto em prática explicita os vícios da nossa economia.
    Levantamento feito pela ONG Contas Abertas revela que, na comparação com o ano passado, o governo e as empresas estatais deixaram de investir 15 bilhões de reais nos primeiros onze meses deste ano. No mesmo período, as despesas com a inchada máquina governamental cresceram 83 bilhões de reais.

  13. Concordo com Francisco e Falconieres… Ilhéus só vai se lascar com esse projeto absurdo.Nem ICMS será pago pela Bamin , pois produtos que são exportados não recolhem esse imposto , vocês sabiam ? Ilhéus só vai ficar com a poluição , a destruição e a marginalidade. Essa turma que apóia o porto sul acha que a salvação vai cair do céu com esse porto e haverão funcionários da BAMIN distribuindo empregos e dinheiro nas ruas para o povo. kkkkkk …. Por isso que a telexfree conseguiu tantos otários aqui nessa região. O povo quer moleza.. Quer ir para o céu sem morrer. Quer bolsa família ..Quer dinheiro fácil… Levantem da cama e vão trabalhar ! O porto sul é uma mentira deslavada , tal qual o telexfree … Acordem para a vida !

  14. Vez por outra ocupamos esse precioso espaço, para fazer críticas aos Governos da União e da Bahia, pelos maus tratos seguidos á nossa região.
    É triite a constatação dessa verdade!
    Esse fato é mais um que acontece.Há uma incompetencia generalizada nesse Governo da Bahia, aliada a uma falta de apetite para governar.
    As crise da nossa região que parece eterna, e a do semi árido, ambas sem a mínima atenção, traz de volta o flagelo do ÊXODO RURAL. O campo migrando para a região metropolitana de Salvador ou para as periferias das grandes cidades.
    A REFORMA AGRÁRIA que se quer e que se busca, não acontece, as invasões criminosas em áreas produtivas continuam, e o que é pior, incentivadas por membros de organismos governamentais.
    Proponho que todos nós da região nos fantasiemos de ÍNDIOS, QUILOMBOLAS E SEM TERRAS, para que sejamos, pelo menos, vistos e escutados.

  15. A Bamin precisa logo encontrar outro lugar para montar sua estrutura de exportação. Em Ilhéus não vai rolar. Isso já está claro. Pelo preço que está o ferro atualmente no mercado (caiu demais !) a sugestão que fica é que eles utilizem algum porto que já esteja em funcionamento (Tubarão – ES ou Aratu – BA). A vocação de Ilhéus é o turismo, o cacau , o chocolate e a natureza. Projetos altamente poluidores e destruidores como o do porto sul nunca irão prosperar nessa região. O povo de Ilhéus se engana se acha que vai lucrar com esse projeto. É uma grande enrascada abrigar esse projeto. O povo de Ilhéus não tem ideia da encrenca que é um porto de minério. Perguntem a quem mora em Vitoria- ES.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.