Tempo de leitura: 2 minutos

violênciaAs escutas telefônicas que levaram as polícias Civil e Militar a deflagrar a Operação Libertad revelam bandidos combinando compra de armas e encomendando morte de membros de facções rivais em Itabuna. Parte do áudio das escutas traz dois criminosos citando a aquisição até de explosivos.
Um dos criminosos, conhecido como Sandro Papel, diz que iria comprar armamento e granada, após vender dois quilos de droga vinda de Itororó, supostamente de uma mulher ligada a Jack Bombom, um dos líderes do tráfico transferidos para o presídio de segurança máxima em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul (veja matéria aqui). Também citam a compra de dois coletes, duas pistolas e “umas granadinhas”.
Numa das passagens, Sandro Papel e “NHI” comentam que vão reunir armamento pesado suficiente para enfrentar efetivo da Cipe Cacaueira e até o ex-delegado regional de Itabuna Moisés Damasceno. Sandro Papel também aparece em outra conversa, desta vez com um matador identificado apenas como “Gaspar”. O contato é para eliminar um devedor do tráfico.
Sandro ordena a Gaspar que atire “debaixo do sovaco, [tiro] bem dado no peito, de perto” e, na queda do corpo da vítima, “cole perto da cabeça e dá de um em um [tiro]’. Sandro Papel aparece em outra ligação, desta vez com um bandido identificado apenas como Gigó. ordenando a morte de um homem, apontando apenas como Juliano. Um assalto seria anunciado quando o alvo saísse do restaurante. A vítima e uma outra pessoas seriam eliminadas com cortes de faca, “vivos”.
Dos diálogos captados pela polícia, os bandidos ainda reclamam da falta de munição em Itabuna. “Neguinho”, conhecido como Niel, diz que está buscando uma “boca de fumo” só para ele.

11 respostas

  1. Em qualquer lugar do Brasil o preso tem facilidade de comunicação com o exterior. Alguns até a visita íntima.
    Por que a Justiça e a polícia não instalam logo nas cadeias e presídios um S.A.D. (SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO DETENTO)? Com
    direito a telefone 0800, internet, sedex, etc., tudo ilimitado, “free”, com bloqueadores para não serem incomodados.

  2. -INFELIZMENTE NÃO TEMOS PENA DE PRISÃO PERPETUA AQUI NO BRASIL, PARA MANTER TODOS ESSES FACINORAS DE FORMA INDEFINIDA NA PRISÃO.
    -ALGUNS DIZEM QUE PRISÃO TEM QUE RESSACIOLIZAR BANDIDOS, E EU REPITO O QUE UM BANDIDO DO RIO CHAMADO LÚCIO FLAVIO QUE FICOU MUITO FAMOSO DISSE, “BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO”. POIS QUEM QUER TER DIREITOS E VIVER EM SOCIEDADE RESPEITA AS LEIS E OS DIREITOS DOS OUTROS.

  3. AGORA VAI! DAMASCENO AGORA PODE MANDAR E ANTES VOCE ERA MANDADO MUDE UM POUCO ESTA HISTORIA,ESTE DIVISÃO DE RAIOS A VIOLENCIA AUMENTAVA AGORA QUERO VER QUEM ESCOLHE PRA ONDE VAI É TUDO MISTURADO IGUAL A MUSICA VOCE AGORA MANDA. PARABÉNS VOCE VAI LONGE, MAIS VOCE SABE QUE TEM ALGUEM MAIOR QUE ESTES.

  4. Solução para isso morte para esses caras seria bom para a população e para o Estado que economizaria uma grana com esses maus elementos.
    P.S A familia desses marginais ainda recebem auxilio prisão um absurdo! Só no Brasil

  5. A punição pra esses bandidos transferidos pra O Mato Grosso é muito chique, avião do estado, pago com nosso do dinheiro.
    Algemem essas desgraças tipo corda de caranguejo e joguem em alto mar, aí se sim justificaria o tipo de transporte.

  6. Parabéns ao Governador Jaques Wagner.O Galego é retado mesmo.Fez a parte dele,juntamente com os polciais envolvidos.Todos de Parabéns.Agora falta vcs politicos!Deputados e senadores que só sabem conversar e muito blá blá blá…. mudem essas leis ridículas.

  7. Está de parabéns o delegado Damasceno, só assim acaba essa idiotice de Raio A e Raio B, lugar nenhum no Brasil existe isso, deixe esses idiotas se matarem lá dentro do presídio, cada um que morrer é um gasto a menos para o Estado. E é bom que eles continuem de olho e apertando esses descarados, acho que no Brasil devia haver prisão perpétua ou quem sabe pena de morte.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.