Tempo de leitura: < 1 minuto

A médica Sônia Maria Leal, que atua no Samu em Itabuna, registrou notícia crime na sede da 6ª Coordenadoria de Polícia contra sua colega de profissão, Maria Socorro Prazeres. O fato ocorreu nesta terça-feira, 23.

Segundo o Plantão Itabuna, o Samu conduziu para o Hospital Manoel Novaes o garoto de iniciais L.P.M., de oito anos e morador do bairro São Roque. A criança apresentava sintomas de surto psicótico.

No hospital, Maria Socorro Prazeres, que era a pediatra de plantão, teria negado atendimento ao garoto, sob a alegação de que seu expediente já havia encerrado. O site afirma que a notícia crime foi registrada na delegacia às 18h30, enquanto o plantão da médica iria até às 19 horas.

11 respostas

  1. Dá uma dose de R E V A L I D A nela! É nessas horas que, apesar de todas as críticas que tenho ao Programa Mais Médicos, tenho vontade de gritar: “Entonces, que vengan los cubanos”.Invadam a Baia dos Porcos engravatados.

  2. Essa deve ser uma que participa de passeata contra a importação de médico, conheço muito médicos formado na Bolivia que são igual ao que se formaram com o dinheiro do povo Brasileiro e depois nos cobra fortuna por uma consultinha de 10 minutos, uma das dirigente da Organização Mundial Da Saúde, elogiou a formação de médicos Cubanos, sejam bem vindo Português, Espanhois, cubanos, argentinos e Brasileiros formado na Bolivia, sou afovor sim da importação.

  3. Porque ao invés de se dar ao trabalho de registrar queixa polícial, que em nada modificará o perfil que quem está num plantão e escolhe quem ou quando atender, não se priorizou o interesse do menor que, considerando-se a suspeita de “surto psicótico”, deveria ter sido encaminhado pelo SAMU, à Psiquiatria do Hospital de Base, que ainda é a referência em emergência psiquiátrica nesta cidade?

  4. Ainda bem que numa situação desta,pela qual um ser humano deixa de ser atendido num hospital,o paciente presta queixa crime numa delegacia.

    O que poderia ocorrer,uma vez que um cliente compra determinado
    objeto nua determinada casa comercial e este objeto vem defeituoso,a queija crime não deveria ser num Juizado de Pequena Causas,mas numa delegacia de Furtos e Roubos.

    Foi o que ocorreu com um amigo meu,o mesmo comprou um objeto,na laja Le Biscuit,no shopping de Itabuna e já vai fazer um ano e,
    o mesmo,foi ao Juizado de Pequena Causas,até hoje,este pequeno
    poder não se manifestou.

    Entretanto,uma sociedade que clamar por transparência,leis que
    combata a corrupção no Brasil,poderia já pensar que situações que venha ocorrer a exemplo do Hospital,Manoel Novaes,que o cidadão registre na delegacia e que fatos como ocorreu na Le biscuit,seja registrado na delegacia de Furtos e Roubos.

  5. O que a médica fez não é fato isolado, o mesmo está acontecendo com as gestantes de Itabuna e região…estão esperando o povo se unir e fazer uma caminhada até o hospital ou as autoridades acordarem e cobrar explicações a direção do hospital.

  6. -E ELES AINDA FAZEM MANIFESTO CONTRA O PROGRAMA MAIS MÉDICO DO GOVERNO FEDERAL, ALEGANDO HIPOCRITAMENTE QUE NÃO FALTA MÉDICOS E SIM CONDIÇÕES PARA TRABALHAR E QUE OS MÉDICOS ESTRANGEIROS COLOCARIA EM RISCO A VIDA DOS BRASILEIROS. MAIS SÓ QUE ISSO OS MÉDICOS BRASILEIROS, QUE SE ACHAM ALTAMENTE CAPACITADOS, JÁ FAZEM DIARIAMENTE COM A POPULAÇÃO, QUANDO SE OMITEM PRA NÃO ATENDER, QUANDO NÃO COMPARECEM AOS POSTOS DE SAÚDE, NOS HOSPITAIS PÚBLICOS, DEIXANDO AQUELES QUE PRECISAM DE SOCORRO A MERCÊ DA SORTE E INTERVENÇÃO DIVINA.

  7. Isso devia dar cadeia e cassação de diploma. Que todos esses médicos são mercenários não esta dúvida, mas assassinos já é demais.

  8. É A CATEGORIA CARA DE PAU, ACHAM QUE É O ÚNICO QUE TEM CONHECIMENTO, TODO PODEROSO E QUE A SOCIEDADE DEVE ESTÁ ABAIXO DESTES DESUMANOS.BASTA VER A ULTIMA DO CFM, ONDE QUERIA DEIXAR EM SUAS MÃOS O PODER DE DIAGNÓSTICO, COMO SE O ENFERMEIRO, O PSICÓLOGO, O NUTRICIONISTA FOSSEM DESPROVIDOS DESTES CONHECIMENTOS TÉCNICOS.
    QUE VENHAM MÉDICOS DE ONDE VIER COM SENSIBILIDADE HUMANA!!!

  9. MARCOS,

    Marcos “Entonces, que vengan los cubanos” virou aforismo. Os cubanos não virão e passamos a denominar “Cubanos” aqueles que estão a fim de encarar a realidade do que é o sistema de saúde nesses fundões, ir para onde ninguém quer. Talvez os próprios cubanos desertassem diante do caos e se mandasse num bote para Miami, ou no ônibus da Itapemirim para as capitais procurando melhores condições de trabalho.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.