Tempo de leitura: < 1 minuto

A empresa World Service, contumaz caloteira em trabalhadores terceirizados de escolas públicas estaduais na Bahia, não prestará mais serviços ao Estado. Nesta quinta-feira, 19, o governo anunciou o rompimento do contrato com a empresa e outras terceirizadas que vinham descumprindo cláusulas contratuais. As outras dispensadas são BC, Contrate, LC, Líder, Sal-ttur, Shaleve e Medial.

Segundo o governo, entre os motivos do distrato, está o atraso de salários e o não pagamento de vales (transporte e alimentação). O governo firmou acordo mediado pelo Ministério Público do Trabalho, pelo qual se compromete a regularizar os pagamentos e assegura o emprego dos trabalhadores hoje vinculados às terceirizadas.

No acordo com o MPT, o governo também se comprometeu a efetuar o pagamento a todas as empresas terceirizadas que estejam com a documentação das faturas em dia. Os repasses serão feitos com a intermediação do MPT e do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza (Sindilimp). As terceirizadas locam mão de obra de merendeiras, porteiros e pessoal de limpeza.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.