Tempo de leitura: 2 minutos
Everaldo reforça necessidade de diálogo e diz que aliados terão preferência, não prioridade.
Everaldo reforça necessidade de diálogo e diz que aliados terão preferência, não prioridade.

O presidente estadual do PT, Everaldo Anunciação, sabe bem das complicações que a legenda terá pela frente, caso o diretório estadual imponha nomes de partidos aliados em detrimento de candidaturas petistas nas 35 maiores cidades baianas em 2016. Ao PIMENTA, o dirigente afirmou que os “aliados terão preferência, não prioridade” nas candidaturas.

Ao defender a preferência dos gestores aliados que tentarão reeleição, o dirigente busca evitar maior tensão na base governista estadual e, ao mesmo tempo, construir nomes de consenso no enfrentamento contra candidaturas do espectro oposicionista, com sérias implicações no pleito estadual de 2018. Everaldo até admite que poderá haver duas candidaturas aliadas do governo disputando prefeituras, mas sem a tensão que isso pode provocar se o processo não for dialogado.

Ainda nesta semana, a Executiva Estadual se reúne e comunicará aos presidentes de diretórios municipais a decisão em relação a estes municípios. Itabuna, por exemplo, o prefeito é do PRB (Claudevane Leite), mas o diretório local trabalha para que o candidato seja o ex-deputado Geraldo Simões, que detém o controle do PT local.

No último sábado, o presidente do diretório municipal, Flávio Barreto, afirmou ao PIMENTA que pretende sacudir a reunião do próximo sábado (14), em Salvador, quando questionará a perda de espaço do PT nos governos estadual e federal – e o processo de definição de candidaturas petistas nos maiores municípios baianos. Para ele, o partido adota estratégia de enfraquecimento próprio no momento em que precisa ter forças para enfrentar questionamentos em várias frentes.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.