Tempo de leitura: < 1 minuto
Maioria seguiu o parecer do relator, ministro Teori Zavaski (Foto Divulgação).
Maioria seguiu o parecer do relator, ministro Teori Zavaski (Foto Divulgação).

Por oito votos a dois, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na tarde desta quinta-feira (31) que as investigações da Operação Lava Jato sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva devem permanecer na Corte.

A maioria dos ministros decidiu manter a decisão anterior do ministro relator, Teori Zavascki. Com a posição do plenário, a parte da investigação que envolve Lula permanecerá no STF e não com o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da operação na primeira instância.

No voto, o ministro Zavascki afirmou que, apesar da questão da legitimidade das interceptações das conversas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não fazer parte do julgamento desta tarde, algumas das provas podem perder validade. O ministro citou o fato de uma das conversas ter sido gravada depois do pedido para que as interceptações fossem suspensas. Da Agência Brasil

0 resposta

  1. Que vergonha! Não somos indígenas, possuímos a cidadania plena e nossa própria tutela! Sem cargo eletivo, mesmo assim deram foro “especial” ao Lula!

  2. Nenhuma novidade, a maioria dos ministros do STF já foram citados em áudio de delatores como o Delcídio e do proprio molusco, parece que nisso o lula acertou, tem ha covardes na republiqueta das bananas.

  3. ESTE TAMBEM FAZ PARTE DA QUADRILHA, AS PROVAS JÁ ERAM EVIDENTES NADA DE NOVO…..ESPEREMOS QUE MAIS NA FRENTE PREVALEÇA O SENSO DE JUSTIÇA, E O SUPREMO JULGUE EM FUNÇÃO DAS PROVAS,E NÃO POR FIDELIDADE À QUADRILHA, ALIÁS PROVAS QUE SÃO MUITAS E MUITAS AINDA ESTÃO POR VIR, O MATERIAL É FARTO, NÃO TEM ESCAPATÓRIA, IRÃO PRESOS QUASE TODOS, O CAMINHO AINDA É LONGO.

  4. Nesses dias tensos de opiniões e atos equivocados (uns até criminosos) de um juiz que quer mais aparecer na mídia coxinha do quê praticar o bom direito, enfim uma decisão sensata do nosso STF.
    Parabéns, Sr. Ministro!

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.