Tempo de leitura: 2 minutos
Ministra queria receber mais que a lei permite
Ministra queria receber mais que a lei permite, mas desistiu||Foto George Gianni

Apesar de comparar seu contracheque de R$ 33,7 mil mensais à situação de trabalho escravo, a ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, tem um série de direitos devido ao cargo que ocupa, como carro com motorista, jatinho da FAB, cartão corporativo e imóvel funcional.

Além desses benefícios, a baiana Luislinda também ganha diárias do governo federal. Só neste ano ela recebeu R$ 45,098 mil. No ano passado, a ministra recebeu R$ 26.135 de julho, quando assumiu, a dezembro em diárias.

Em junho deste ano, além do salário de desembargadora aposentada no Tribunal de Justiça da Bahia, Luislinda recebeu ainda R$ 15 mil a mais relacionados a uma vantagem paga a servidores daquele estado.

DESISTIU

Em nota divulgada nesta quinta-feira, Luislinda afirma que desistiu do pedido para acumular salários. Na petição que enviou ao governo federal pedindo que ao seu salário de ministra fosse somado o de desembargadora aposentada, o que lhe garantiria o rendimento bruto de R$ 61,4 mil, Luislinda afirmou que “sem sombra de dúvidas” a situação se assemelha ao trabalho escravo.

Ela reclamou que devido à regra do teto constitucional só pode receber R$ 33,7 mil, o equivalente ao que ganha um ministro do Supremo Tribunal Federal.

Em entrevista nesta quinta à rádio CBN em que confirmou o pedido, a ministra disse que fez uma “uma alusão, uma simbologia (ao trabalho escravo), porque todo trabalho que se executa e que não tem as respectiva remuneração, ele não é correto, ele não é um trabalho legal”. Leia a íntegra no Globo.

3 respostas

  1. O que qualquer pessoa ao se aposentar têm seu salário fixo é causa pétrea,porém, agravante: só faz diminuir poder de compra,já que o mesmo não acompanha os aumentos dos que estão na ativa.

    É justo que a pretendente tenha seu salário integral da função exercida,é legal a pretensão,cabe a interpretação da lei, esta pessoa não está acumulando cargo e salário na ativa, portanto não existe acumulo e merece receber salário integral sim,é justo. O que não foi legal foi a analogia com a escravidão. Afinal,outro ministro fez a mesma analogia,o Gilmar Mendes.

    Um exemplo no quintal de Taboca,um tal prefeito de Itabuna nos 4 anos de mandato
    recebeu seu salário integral de Soldado raso da Policia militar da Bahia e como
    prefeito de Itabuna.

    Quaisquer interpretações de teto neste caso,que não seja a legalidade de receber
    seus vencimentos pecuniários,não existe acumulação,um salário é indenização de longos anos de trabalho. Aí pode fazer analogia de escravidão,mas,é de acordo o trabalho que foi exercido.

    O trabalho deste comentarista como Soldado da Polícia Militar,não tenho nenhum
    receio de ser injusto,foi longos anos de escravidão. 1977 a 2OO7 com férias vencidas e licença prêmio não gozada,segundo o documento de aposentadoria,39 anos,mas 3 anos de Supermercado Messias,42 anos de escravidão.

  2. E essa senhora é ministra dos Direitos Humanos. Sua atitude é uma tremenda falta de respeito com a situação de tantos brasileiros que sofrem os efeitos maléficos da atual situação do país, com falta de segurança, saúde e com educação de péssima qualidade. E com os brasileiros que tentam sobreviver com um salário mínimo que não permite que o assalariado tenha uma vida com o mínimo de dignidade.

  3. ESSE BANDO DE VAGABUNDOS POLÍTICOS SÓ JOGAM EM CIMA DOS SALÁRIOS MAIS BAIXOS, ESSA CAMBADA DE MARGINAIS, CRIMINOSOS, LADRÕES, CHEIRADORES DE COCAÍNA SEM VERGONHAS DESSES POLÍTICOS, QUE NÃO EXISTE UM HOMEM NESSA POLÍTICA BRASILEIRA, SÃO TODOS MARGINAIS TRAFICANTES DE CARTEIRINHA, ESTÃO PERSEGUINDO ELA, OS DEPUTADOS GANHAM SEM OS ROUBOS E PROPINAS R$ 270.000,00 (DUZENTOS E SETENTA MIL REAIS) SE A LEI E PARA UM TEM QUE SER PARA TODOS.

    E TEM MAIS ESSES VAGABUNDOS QUE SE DIZEM POLÍTICOS, JÁ FOI APROVADO ENTRE ELES MAIS DE HUM BILHÃO PARA A CAMPANHA DE 2018, ELES APROVAM TUDO PARA ELES E PARA O POVÃO TRABALHADOR ELES CORTAM TODOS OS DIREITOS TRABALHISTAS E MAIS A APOSENTADORIA, MAIS SE NÃO FOR COM OS VOTOS DOS POBRES ESSE BANDO DE MARGINAIS NÃO SE ELEGEM, E Á CULPA E DO ELEITOR QUE SÃO BABACAS.

    NILZA RAMOS

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.