Tempo de leitura: 2 minutos

Polícia Federal cumpriu mandados de prisão em Guaratinga na quinta||Foto Radar 64

A prefeitura de Guaratinga, no extremo sul do estado, deverá ressarcir o Fundo Estadual de Saúde da Bahia (Fesba) no valor de R$ 817.073,92 pelo desvio de verbas no Hospital Municipal de Guaratinga.A devolução do valor foi determinada após auditoria da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), e publicada no Diário Oficial do Estado de quinta-feira (26).
No decreto, assinado pelo secretário da pasta, Fábio Vilas-Boas Pinto, é informado que “os atos resultantes dos processos da Auditoria estarão sujeitos aos recursos administrativos”, de acordo com decreto estadual. Após a investigação da Polícia Federal, realizada na manhã de quinta, a prefeitura culpou a antiga gestão pelos crimes apontados.
A PF deflagrou na manhã de quinta a Operação “Agentes Nocivos”, que cumpriu dois mandados de busca na sede da Secretaria Municipal de Saúde e no Hospital Municipal de Guaratinga. A ação investiga um grupo suspeito de fazer cirurgias e outros procedimentos médicos “fictícios” na unidade de saúde. Até mortos teriam passado por cirurgias,. segundo investigações.

Segundo a investigação da PF, os procedimentos médicos não foram realizados de fato, mas foram pagos com recursos do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com as investigações da PF, as verbas foram repassadas para o custeio da saúde na Prefeitura de Guaratinga e desviados ilicitamente em benefício dos investigados, que não tiveram os nomes divulgados.
Em nota, a Prefeitura de Guaratinga disse que as irregularidades foram cometidas na gestão do ex-prefeito Kenoel Viana. Segundo a gestão, foram recebidas denúncias de infrações no Hospital e Maternidade Joana Moura ainda em 2017. O Município afirmou ter instaurado sindicância interna, denunciado o caso à Sesab, além de estar colaborando com as autoridades. Do Correio.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.