Tempo de leitura: 2 minutos
Da cabeça dos burocratas, a ideia de construir presídio na Rodovia Ilhéus-Itabuna || Foto Pimenta

Depois de lançar a ideia de construção de presídio na Estrada do Chocolate e perceber a forte rejeição de setores, a Prefeitura de Ilhéus e o Governo Estadual avaliam a possibilidade de erguer o novo conjunto penal, veja só!, na Rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415).

A ideia de construção de unidade prisional na BA-262 já era absurda, imagine então na Ilhéus-Itabuna, uma das mais lindas estradas do país. Seria estrangular uma região que cresce em ritmo acelerado.

A Rodovia Ilhéus-Itabuna já se transformava numa grande avenida ligando as duas cidades-polo do sul da Bahia. Em pouco mais de 25 quilômetros de extensão, a estrada concentra bairro universitário, uma das principais universidades do Brasil, a Uesc, escolas do Senai e do Sesi (Sistema Fieb), a Ceplac e 3 atacadões – e às vésperas de contar com mais um empreendimento no sistema atacarejo.

Além disso, às margens da rodovia há vários residenciais de baixo, médio e alto padrão. Em breve, numa área cedida pela Ceplac, será inaugurado o campus Jorge Amado da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). E, claro, não esqueçamos do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia da Bahia (IFBA), ali a alguns quilômetros da Uesc. Nem tão longe, um dos mais modernos hospitais do Estado, o Costa do Cacau.

Há quase 20 anos, na outra ponta da BR-415, na região de Ferradas e Novas Ferradas, em Itabuna, foi erguido o Conjunto Penal de Itabuna, definido anos depois por um magistrado grapiúna como espécie de “Universidade do Crime” e onde surgiram as facções que aterrorizam a Velha Tabocas e exportam o “aprendizado” para outras cidades.

Os burocratas municipais e estaduais acreditam que na Estrada do Conhecimento, a Ilhéus-Itabuna, caiba um presídio…

2 respostas

  1. Se vai construir na rodovia Ilhéus x Itacaré o povo é contra, se vai construir Itabuna x Ilhéus povo também contra, percebo que o governador tem duas opções, fazer no oceano com petróleo ou no Palácio de Ondina, do jeito que vai são essas as alternativas.

  2. Gente! Vamos acreditar que hajam vozes de bom senso para impedir tamanha atrocidade. Caso contrário, é preciso acionar todas as instâncias cabíveis; senão, como ficaria a proposta de Região Metropolitana?????

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.