Tempo de leitura: 2 minutos
Rosemberg diz que venda de imóvel em área nobre pode gerar até R$ 50 milhões de receita

A Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) aprovou, nesta segunda-feira (27), o Projeto de Lei 23.724/20 que autoriza a alienação do imóvel em que funcionava o Colégio Estadual Odorico Tavares, no Corredor da Vitória, área nobre de Salvador. Conforme o Executivo, o retorno financeiro da venda do espaço será utilizado para construir e reformar outras escolas. A operação foi justificada pelas significativas perdas de alunos em 2019, que chegou a matricular apenas 300 estudantes, quando a capacidade era de três mil vagas.

O líder do Governo no Parlamento baiano e relator da proposta, deputado Rosemberg Pinto (PT), reforçou, durante leitura do parecer, a necessidade da captação de recursos para a educação baiana, já que o Odorico Tavares estava ocioso e o chefe do Executivo estadual orientou a destinação dos recursos para construção de novas unidades. “Esta operação deve gerar cerca de R$ 50 milhões aos cofres do estado, que vai aplicar este recurso na construção de novas escolas na Bahia”, afirmou o líder governista.

Em entrevista à Rádio Metrópole ontem, Rui também informou que ainda esta semana publicará processos licitatórios para a construção de novas escolas em Salvador, nos bairros de Lobato, Paripe, Cabula (Estrada das Barreiras), São Cristóvão, Pau da Lima, Imbuí, Fazenda Grande do Retiro e Vila Canária.

Várias unidades no interior e região metropolitana também serão construídas, a exemplo de Teixeira de Freitas, Candeias, Lauro de Freitas e a comunidade quilombola de Laje dos Negros, em Campo Formoso, que será entregue em março deste ano. O líder baiano garantiu ainda que, até o final do seu mandato, 60 novas escolas com salas climatizadas, quadra coberta, biblioteca, piscina, teatro e refeitório serão construídas em todo o estado.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.