Juarez Caseh no The Voice+ e na capa de disco da Banda Lordão (no círculo em vermelho), ainda com cabeleira
Tempo de leitura: < 1 minuto

Ao interpretar I Don’t Want To Talk About It, canção de autoria de Danny Whitten, o cantor Juarez Caseh foi um dos destaques, na tarde deste domingo (7), do programa The Voice+, da Rede Globo.

Natural de Maceió, Juarez Caseh, hoje com 64 anos, é um artista que fez grande sucesso no sul da Bahia. “No final da década de 70 e início da de 80, Juarez integrou a banda Super Som Lordão, lembrou o jornalista Ederivaldo Benedito, que cedeu ao PIMENTA a imagem da capa de disco do Lordão que ilustra esta matéria.

Antes de deixar o Lordão e seguir carreira em Salvador, onde foi vocalista da Banda Mel, Juarez – ao lado de Mimide, Filemon, Jô Carlos e Kocó – gravou, em 1979, o primeiro LP da banda. Dois dos sucessos da gravação, foram Tempo e o Vento, de Datan Coelho, e Melô do Sufoco, de Mimide.

A apresentação de Juarez empolgou os técnicos, que viraram as cadeiras ainda nas primeiras notas. O artista escolheu o time de Claudia Leitte, que se emocionou ao saber da carreira musical de Caseh e ouvir que o cantor foi vocalista de bandas famosas no estado, como Banda Mel, Lordão e Furtacor.

A reação de Claudia Leitte à apresentação de Caseh:

– Meu Deus! Não tô acreditando. Vocês tão entendendo que vocês estão diante de uma estrela?

Confira a apresentação que “quebrou” a última rodada da audição às cegas do The Voice+.

Clique aqui e confira a apresentação de Caseh e a reação dos jurados do programa da Rede Globo.

 

8 respostas

  1. O programa The Voice + é emocionante. Ontem então foi demais, não só com a apresentação do Juarez Casé, mas de outos também. Difícil escolher quem foi melhor.

  2. Musicas lindas, doces tempos que valia a pena ir em um bale, além do Lordão que expandiu além da Bahia e tantas outras bandas exemplo do Som Apache, os brasas, Vera cruz, Corsário, Fhase, enfim, não podemos esquecer de inserir o radialista, Titio Brandão nos doces tempos da boa música e doces festas nos clubes sociais ,exemplos do Grapiúna Tênis Clube, Clube Social de Itabuna, Clube Social do Pontalzinho, Clube Social da Mangabinha até mesmo o Clube Social do São Caetano, época de ouro do romantismo da Região Cacaueira doces tempos, recordar é viver é monopólio dos vivos.

    1. Belo comentário, amigo!
      Itabuna já teve muita coisa boa, incluindo os clubes que citou e que hj vive um período de falta de lazer, de Cultura de esporte e tantas coisas mais.
      Mas vale muito apena lembrar dessas pessoas que fizeram a diferença não só em Itabuna como em todo o território nacional, como Lordão, referência musical da nossa cidade…ainda há esperança!!

  3. Belo comentário, amigo!
    Itabuna já teve muita coisa boa, incluindo os clubes que citou e que hj vive um período de falta de lazer, de Cultura de esporte e tantas coisas mais.
    Mas vale muito apena lembrar dessas pessoas que fizeram a diferença não só em Itabuna como em todo o território nacional, como Lordão, referência musical da nossa cidade…ainda há esperança!!

  4. Gente que emoção ! Jamais me senti tão emocionada. Toda vez que assisto CHORO DE NOVO!? É muita entrega, muita beleza, eu diriacuma voz cheia de amor e de paz! Aonde era que ele tava escondido até agora meu Deus???

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.