Marcelo Queiroga aceita Ministério da Saúde
Tempo de leitura: < 1 minuto

O presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Marcelo Queiroga, aceitou o convite do presidente Jair Bolsonaro para ocupar o Ministério da Saúde.  Queiroga vai substituir Eduardo Pazuello, que vinha enfrentando um processo de fritura do governo.

A nomeação de Queiroga será publicada na edição desta terça-feira (16) do Diário Oficial da União. “Foi decidido agora à tarde a indicação do médico, doutor Marcelo Queiroga, para o Ministério da Saúde”, anunciou o presidente a apoiadores no início da noite depois de reunião com o futuro ministro.

Marcelo Queiroga será o quarto ministro da Saúde desde o começo da pandemia de Covid, há pouco mais de um ano. Ele foi convidado depois que a médica Ludhmila Hajjar rejeitou o cargo. Ela se reuniu com o presidente da República ontem e, logo depois, passou a ser atacada por radicais de direita.

“Recebi ataques, ameaças de morte que duraram a noite, tentativas de invasão em hotel que eu estava. Fui agredida, [enviaram] áudio e vídeo falsos com perfis, mas estou firme aqui e vou voltar para São Paulo para continuar minha missão, que é ser médica”, disse Hajjar, em entrevista CNN Brasil.

“Vou continuar atendendo pessoas de esquerda e de direita. Isso, talvez, para algumas pessoas muito radicais – e que estão defendendo o discurso da polarização – é algo que me diminui. Pelo contrário. Se eu fizesse isso, não seria médica, não estaria exercendo a profissão, negaria o juramento que fiz no dia que me formei na Universidade de Brasília”.

Deixe aqui seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.